Campanha relaciona hábitos saudáveis contra o diabetes

(14/11/2014) O Hospital de Clínicas da Unicamp encerrou nesta sexta (14 de novembro), a semana de orientação e combate ao diabetes, em comemoração ao Dia Mundial da doença (14). Durante esses dias alunos, residentes, docentes e profissionais de enfermagem mantiveram as ações da campanha no Ambulatório Geral de Adultos (AGA) e nas entradas principais do hospital para a distribuição de folhetos informativos.

O HC atende semanalmente 20 pacientes com diabetes do tipo I (sendo 4 casos novos) e 60 do tipo II (5 casos novos). Os pacientes do tipo 2 totalizam cerca de 800 pessoas em acompanhamento Atualmente, o diabetes é considerado uma das principais causas de mortalidade, insuficiência renal, amputação de membros inferiores, cegueira e doenças cardiovasculares em todo  mundo.

Este ano o tema da campanha foi “Vida Saudável e Diabetes”, visando combater um dos maiores vilões da doença: a má alimentação. De acordo com professor e endocrinologista, Marcos Antonio Tambascia (foto) a má alimentação e o sedentarismo são os principais fatores responsáveis pelo crescimento da doença.

“Mesmo com a evolução dos medicamentos manter hábitos saudáveis e praticar atividades físicas são as melhores formas de se prevenir e também tratar a doença”, explica Tambascia. Evitar doces e frituras em excesso, incluir na dieta verduras, legumes e realizar atividades físicas regulares são exemplos de como prevenir o aparecimento da doença.

De acordo com estudo feito pela Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês), atualmente existem 3,4 milhões de casos não diagnosticados no Brasil - um acréscimo de 14% em relação a 2013. No total o país possui 11,6 milhões de pessoas diagnosticadas com a doença.

O Brasil está em 4º lugar no ranking mundial de países com os maiores índices da doença, perdendo apenas para China, Índia e EUA. O desencadeamento do diabetes tipo I geralmente é repentino e podem aparecer sintomas como sede excessiva, perda rápida de peso, cansaço inexplicável e má cicatrização. Já no tipo II, esses sintomas são mais moderados ou até inexistentes.

“A prevalência da doença está aumentando em nível mundial. É importante prevenir com a mudança de hábitos e estilo de vida de crianças e adolescentes, mas mesmo em adultos diabéticos, a dieta saudável e os exercícios são parte essencial do tratamento”, completa Tambascia.

O diabetes é causado pela falha ou falta de produção no pâncreas, da insulina necessária para o corpo, causando assim, aumento do nível de açúcar ou glicose no sangue. Existem dois tipos de diabetes: o tipo I, com maior incidência em crianças e adolescentes, e o tipo II mais recorrente em pessoas com idade entre 30 e 70 anos.

Em Campinas, no dia 29 de novembro, a equipe multiprofissional do HC estará no Largo do Rosário das 8h às 13h, passando orientações e realizando aferição de glicemia, peso, altura e índice de massa corpórea (IMC) ao interessados. A atividade encerrará as comemorações do Mês do Combate ao Diabetes é uma parceria entre a Prefeitura de Campinas, Unimed, Faculdades São Leopoldo e PUC-Campinas.

Tipos
Diabetes tipo I: o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina e exige a aplicação de injeções diárias do hormônio. Não se sabe exatamente quais as causas da doença no tipo 1.

Diabetes tipo II: mais conhecido, correspondente a 90% dos casos. Neste tipo, o pâncreas produz a insulina, mas sua ação é prejudicada pela obesidade, geralmente. Maiores casos em pessoas adultas. Sedentarismo e obesidade são suas maiores causas.

Diabetes gestacional: ocorre quando a taxa de glicose no sangue fica elevada durante a gravidez. Embora normalmente a glicose no sangue volte aos padrões normais após o parto, mulheres que apresentam diabetes gestacional têm maior risco de desenvolverem diabetes tipo 2.
 
Fatores de risco
Obesidade (inclusive a obesidade infantil);
Hereditariedade;
Falta de atividade física regular;
Hipertensão;
Níveis altos de colesterol e triglicérides;
Medicamentos, como os à base de cortisona;
Idade acima dos 40 anos (para o diabetes tipo II);
Estresse emocional

Caius Lucilius com Caroline Roque e Matheus Martinelli
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp
 
 

Share/Save