HC da Unicamp inicia terceiro turno da radioterapia com acelerador linear

Terceiro turno da radioterapia está atendendo pacientes das 18 às 22 horas

(03/09/2007) A Secretaria de Estado da Saúde aprovou o projeto do HC da Unicamp de ampliação dos atendimentos radioterápicos. Com a medida, o hospital passou a oferecer, desde o início do mês, o terceiro turno para tratamento de pacientes oncológicos. O novo turno funciona das 18 às 22 horas, de segunda à sexta-feira, podendo atender 20 pacientes no período. O terceiro turno está atendendo nessa primeira etapa, pacientes com câncer de próstata que estão sendo tratados exclusivamente com o acelerador linear (AL) do Serviço de Radioterapia do HC da Unicamp. Hoje a fila do HC de pacientes que aguardam tratamento de próstata chega a 170 homens.

Segundo o médico Eduardo Baldon Pereira, diretor técnico do Serviço de Radioterapia do HC da Unicamp, com o novo turno serão em média 85 tratamentos/dia, 35 consultas/dia e cerca de 800 pacientes novos por ano em tratamento com o acelerador linear. “A principal vantagem do acelerador linear é o aumento da qualidade no tratamento, que em breve será mais precisa com a aquisição de um software que maximiza a chance de destruição do tumor e aumenta a probabilidade de cura do paciente”, explica o radioterapeuta. O acelerador linear permite um tratamento com maior precisão sobre qualquer tipo de tumor, mais rapidez e menor efeito colateral ao paciente.

O acelerador linear do Hospital de Clínicas da Unicamp, adquirido com recursos do Ministério da Saúde, custou US$ 1,2 milhão e começou a funcionar em julho de 2002. O equipamento de última geração melhorou consideravelmente o fluxo de pacientes para tratamento, disponibilizando radiações de fótons e elétrons. Desde a instalação do equipamento, o Serviço de Radioterapia duplicou o atendimento a pacientes oncológicos. O AL pode ter diversos aplicativos e um deles é Irradiação Total da Pele (TSI), um dos poucos no país que realiza esse tipo de atendimento pelo SUS.

O Clinac 2100C é um acelerador linear capaz de emitir diversos feixes de radiação: Raios-X de 6 MV e de 10 MV, além de elétrons de 4 MeV, 6 MeV, 9 MeV, 12 MeV e 16 MeV. O aparelho permite ao médico radioterapeuta a seleção do tipo de radiação mais adequada para cada caso, de acordo com a profundidade da lesão. Além disso, o Clinac 2100C é dotado de multi-leaf de 52 lâminas, capazes de ajustar o campo de tratamento ao formato da lesão a ser tratada.

Serviço de Radioterapia do HC-Unicamp recebe para tratamento, pacientes de toda a Região de Campinas, além do Sul de Minas Gerais, outros Estados e centros especializados como o Instituto Nacional do Câncer - INCA, do Rio de Janeiro. As principais doenças tratadas através do acelerador linear são os cânceres de próstata, pulmão, esôfago, estômago, pele, reto, cabeça-pescoço, linfomas (doenças hematológicas), sistema nervoso central (cérebro) e sarcomas de partes moles.

 

Caius Lucilius
Assessoria de Imprensa do HC UNICAMP

Share/Save