Unicamp terá primeira Escola em Saúde da Família do país

(22/07/2008) A Unicamp e a Secretaria de Estado da Saúde firmaram nesta terça-feira, 22, convênio para a criação do primeiro Programa de Escola em Saúde da Família do Estado de São Paulo. A escola irá formar profissionais para a Estratégia de Saúde da Família, atendendo assim às peculiaridades de atenção básica em Campinas e região. O curso tem como propósito ainda atuar em áreas de residência em Medicina de Família e de comunidade, residência multiprofissional em Saúde da Família e cursos de extensão. Com investimento de R$ 3,1 milhões,sendo R$ 1,5 milhão em infra-estrutura e R$ 1,6 milhão para custeio, o projeto terá um prédio próprio dentro da área da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

Participaram da cerimônia de assinatura da minuta do convênio o governador do Estado de São Paulo, José Serra; o secretário estadual de Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata o coordenador geral da Unicamp, Fernando Ferreira Costa; o diretor da FCM, José Antonio Rocha Gontijo; e o superintendente do Hospital de Clínicas, Luiz Carlos Zeferino. O coordenador geral da Universidade disse que a Unicamp cumpre sua função primordial que é educar, e com iniciativas como a Escola em Saúde da Família amplia ainda mais sua produção científica e a extensão à comunidade. Fernando comentou ainda que com a capacitação de profissionais, docentes e pesquisadores nesta área específica de saúde, a escola será paradigma e referência não só para o Estado de São Paulo, mas também para o Brasil. Já o secretário de saúde afirmou que a iniciativa, por ser inovadora, pode transformar o modelo de saúde no país.“Com o atendimento especializado à família, os números de internações no Estado podem diminuir, por exemplo, já que haverá maior atenção à saúde básica da família”, disse Barradas.

O governador José Serra, após assinatura do acordo, expressou sua satisfação em anunciar a criação do programa. “É uma iniciativa que parece pequena, mas é enorme, por ser a primeira escola no Brasil, de nível superior, que atende à saúde da família. Até então os profissionais que atendiam ao PSF possuíam apenas nível técnico. Com essa escola, nós vamos qualificar também médicos, enfermeiros e dentistas, de modo a conferir maior qualidade ao atendimento básico da população”, ressaltou o governador. José Serra disse ainda que, embora Campinas tenha sido escolhida para abrigar a primeira unidade do programa, o governo estadual pretende ampliar a iniciativa para outras regiões do Estado de São Paulo. Após a cerimônia, o governador concedeu uma entrevista coletiva à imprensa na qual detalhou alguma ações primordiais do PSF, como qualificação de profissionais que já trabalham com saúde da família e o aperfeiçoamento do atendimento já realizado nos serviços públicos de saúde. Serra observou ainda que os investimentos e parcerias do Estado destinados à Unicamp se devem aos serviços de excelência prestados pela Universidade.

O curso começará ainda este ano com a modalidade de especialização multiprofissional em Saúde da Família. Segundo o superintendente do HC, Luiz Carlos Zeferino, serão formadas, inicialmente, entre três e cinco turmas, com cerca de 30 a 50 alunos. Zeferino antecipou ainda que, primeiramente, farão o curso, profissionais que já atuam no Programa em Saúde da Família como médicos e enfermeiros. Posteriormente, as aulas serão extensivas a dentistas e agentes comunitários, e um curso por teleconferência também será criado, afirmou o superintendente do HC.

Entre as disciplinas do curso estão Política, Planejamento, Gestão e Gerência em Saúde; Epidemiologia nos serviços de saúde; Abordagem Familiar; Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente; Saúde Mental na Atenção Primária; Saúde da Mulher, Reprodução e Sexualidade; Atualização Técnica em Assistência ao Parto; Atenção à Saúde do Adulto e do Idoso; Cirurgia Ambulatorial e Urgência e Emergência Geral de Adultos e Pediátrica.

O projeto terá como principais áreas de atuação na Unicamp: capacitação de larga escala de profissionais com prioridade para médicos, enfermeiras e dentistas, mas também abrangendo outras categorias profissionais; oferecer, de forma contínua e adequada, capacitação e educação permanente para as equipes de SF, incluindo tecnologias de educação à distância; melhorar a integração dos diversos níveis de assistência do SUS, por meio do envolvimento de profissionais de todos os níveis nos processos de capacitação; avaliar o impacto das capacitações e apoiar os Municípios na seleção de profissionais com perfil adequado; oferecer a disciplina de Saúde da Família nos Cursos de Graduação; desenvolver instrumentos de avaliação do perfil adequado dos profissionais para a Saúde da Família; assessorar municípios para consolidação da estratégia de SF e melhoria da qualidade dos serviços ofertados.

 

Caius Lucilius com Gláucia Santiago e Manuel Alves Filho, Alexandre Silva (fotos)
Assessoria de Imprensa do HC UNICAMP

Share/Save