HC recebe primeira vítima trazida pelo Águia Resgate

(01/07/2010) A Unidade de Emergência Referenciada (UER) do Hospital de Clínicas da Unicamp recebeu nesta quinta-feira, 1º de julho, a primeira paciente trazida pelo helicóptero da Polícia Militar, Águia Resgate, que presta serviço de socorro médico. A paciente E.C.M.B.A. de 31 anos, deu entrada na UER por volta das 8 horas, após sofrer um acidente de trânsito na rodovia Anhanguera. O serviço de resgate aéreo foi lançado em Campinas na manhã de quarta-feira, 30 de junho, na sede do quartel do Comando do Policiamento do Interior dois (CPI-2), no bairro Bonfim.

Na região atendida pelo Águia, 11 hospitais estão credenciados e capacitados para receber os pacientes resgatados pelo Águia Resgate da PM. O HC é um desses hospitais, pois além de ser referência para o atendimento feito pela aeronave na região, conta com um heliponto para atuar no pronto-atendimento.  O Águia Resgate vai sobrevoar 49 municípios que estão num raio de 20 minutos de Campinas e atender vítimas envolvidas em qualquer tipo de acidente, com risco de morte imediata.

A região de Campinas é a primeira do interior a receber este serviço, a aeronave é de 1998 e já fazia parte da frota da PM da cidade. O helicóptero tem capacidade para transportar apenas uma vítima, além de policiais militares que atuarão como piloto e co-piloto, um médico do Grupo de Atenção às Urgências (Grau) e um enfermeiro. No HC, o atendimento inicial dos traumatizados será realizado pela equipe da Disciplina de Cirurgia do Trauma do Departamento de Cirurgia, coordenada pelo Prof. Dr. Gustava P. Fraga.

A atuação do helicóptero-águia ocorrerá durante todo o dia. Durante a noite, será utilizado apenas em casos de extrema urgência. De acordo com dados os atendimentos realizados dentro da primeira hora do acidente proporcionam a redução de 70% no período de internação das vítimas. Em São Paulo, dos 850 pacientes levados para o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, pelo Águia Resgate, 80% sobreviveram.

O Águia Resgate em Campinas é um projeto-piloto que servirá para a instalação dos serviços em outras bases de Radiopatrulha Aérea do Interior do Estado. Um médico e um enfermeiro do Grau ficarão de plantão 24 horas na base da PM para prestar os atendimentos necessários e há planejamento para aumento do quadro de profissionais de acordo com a demanda.

 

Caius Lucilius com Paula da Conceição e Yasmine de Sousa
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

Share/Save