Novos médicos residentes são recepcionados com foco na bioética

(27/01/2010) A Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp recepcionou, na manhã desta quarta-feira (27), os 190 novos médicos residentes aprovados no processo seletivo de 2010 que teve um aumento de 23% no número de candidatos inscritos. Eles passam a compor o quadro de 476 médicos residentes que atuam nas 44 especialidades clínicas espalhadas, principalmente, pelo Hospital de Clínicas da Unicamp (HC), Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism), Hospital Estadual de Sumaré (HES), Hemocentro e Gastrocentro. Esse número de residentes pode aumentar para 495, caso sejam aprovadas as 19 bolsas solicitadas pela Comissão de Residência Médicas (Coreme) da FCM para a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. A recepção foi organizada pela Coreme, que elaborou uma programação especial de três dias para o acolhimento dos novos médicos residente. O primeiro tema abordado foi bioética, com ênfase na responsabilidade profissional e o novo código de ética médica.

De acordo com o médico do Departamento de Medicina Preventiva e Social e professor da disciplina de bioética da FCM, Flávio de Sá, 85% dos processos contra médicos se dão pela falta do bom relacionamento com seus pacientes. “Nós vamos atender e cuidar de pessoas para o resto de nossas vidas, em momentos que elas estão fragilizadas. Precisamos formar médicos com capacidade para lidar, principalmente, com a terminalidade, que é uma questão grave e freqüente”, comentou.

O diretor clínico do HC, Paulo Madureira, disse que, apesar da técnica, dos protocolos e da própria ciência, o erro médico existe. Ele alertou os novos residentes para prestarem atenção em seus pacientes e cultivarem o bom relacionamento com as famílias. “Precisamos estudar muito para errar pouco. Foquem no paciente e no que ele está precisando e a família dele será sua aliada”, orientou Madureira.

Para o presidente da Comissão de Ética Médica do HC, João Batista Laurito Jr., apesar do gigantismo do hospital, há poucos problemas conduzidos pela Comissão de Ética Médica e isso é um indicador de que os profissionais da área da saúde da Unicamp estão preocupados com o paciente, com a circulação do conhecimento ético e atentos aos relacionamentos profissionais. “Somos uma instituição que, além da excelência na área acadêmica e assistencial, tem investido na solidez da formação ética e profissional. Vocês deverão reconhecer que a medicina se sustenta em cima de um principio ético rigoroso. Isso vai ser ensino e cobrado de vocês”, enfatizou Laurito.

Participaram da mesa de abertura da recepção dos novos médicos residentes o diretor da FCM, José Antônio Rocha Gontijo; o superintendente do HC, Luiz Carlos Zeferino; o diretor executivo do Caism, Oswaldo da Rocha Grassiotto e coordenador da Coreme, José Barreto Campello Carvalheira.

 

Edimilson Montalti (texto) e Antonio Scarpinetti (fotos)
Assessoria da FCM Unicamp e ASCOM
Share/Save