Conteúdo para profissionais

INÍCIO | CONTEÚDO PARA PROFISSIONAIS ORIENTAÇÕES | PESQUISA | QUEM SOMOS |


Laboratório de Cateterismo Cardíaco/Hemodinâmica
 
EQUIPE MÉDICA

 

Prof. Dr. Eduardo Arantes Nogueira 
Docente responsável pelo Laboratório de Cateterismo Cardíaco/HEMODINÂMICA
Dr. Walasse Rocha Vieira 
Dr. André Eduardo Gomes 
Dr. André Luís Westin Bittar – médico estagiário
EQUIPE DE ENFERMAGEM
Dra. Solange Martins Viana – Enfermeira 
Ivone Rodrigues Lourenço da Silva-Técnica de Enfermagem 
Gepiton Pereira – Técnico de Enfermagem 
Maria Lúcia Bristotti Fernandes de Mello – Técnica de Enfermagem 
Vera Lúcia Cariaga da Silva - Técnica de Enfermagem
Equipe de Técnicos em Hemodinâmica
Sylvio Luiz Lucchi – Biólogo 
Valdemir Nogueira – Técnico em hemodinâmica
Equipe de Secretários
Mirian Rosane de Souza 
Roseli Isabel Botaro de Barros 
Wilson Roberto Eleutério
Laboratório de Cateterismo Cardíaco/Hemodinâmica 

 

 

 

CATETERISMO CARDÍACO DIAGNÓSTICO
 

Cateterismo Cardíaco é um procedimento invasivo e cirúrgico que utiliza diferentes tipos de cateteres para registros de pressões intra-cardíacas, colheita de amostras sanguíneas e injeções intra-cardíacas de contraste radiopaco. Este procedimento é realizado sob emissão de Raios-X na forma de fluoroscopia para dirigir o cateter ao local a ser estudado e cinefluoroscopia para registro de imagens digitalizadas em CD. Para cada local a ser explorado usam-se cateteres de medidas e angulações diferentes.
 

SALA DE PROCEDIMENTOS
 

Alguns procedimentos diagnósticos e terapêuticos que são realizados no Laboratório de Cateterismo Cardíaco/ Hemodinâmica:
 

Angiocoronariografia 
Ventriculografia 
Aortografia 
Arteriografia pulmonar 
Biópsia endocárdica 
Angioplastia coronária com balão 
Angioplastia coronária com colocação de endoprótese ou STENT
Estudos de Cardiopatia valvular 
Valvoplastia Pulmonar 
Colocação de Marca-Passo temporário
Estudo de Cardiopatia Congênita 
Atriosseptostomia
 

 

As vias de acesso mais utilizadas neste procedimento são:-
 

POR VIA BRAQUIAL:-
 

Com anestesia local, próximo à dobra da flexão do cotovelo, na parte anterior, é feito uma incisão e a separação dos tecidos por dissecção. Isola-se a artéria Braquial para ter acesso ao lado esquerdo do coração (arterial) ou a veia Basílica para acesso ao lado direito do coração (venoso). Então é feito uma incisão no vaso onde será introduzido o cateter, que será lavado com soro heparinizado após sua introdução.

Completado os estudos necessários o cateter é retirado, suturando-se o vaso e finalmente a pele.
 

POR VIA FEMORAL:

Com anestesia local na região femoral (inguinal) faz-se a palpação dos vasos, introduzindo-se uma agulha de punção, localiza-se e punciona-se a artéria ou a veia Femoral. Introduz-se então um fio guia pelo lúmen da agulha. Retira-se a agulha e um introdutor é colocada no local, sendo guiado pelo fio guia, deixando-se no vaso somente a bainha do introdutor que servirá de via de acesso para a introdução e manipulação dos cateteres. O fio guia que sempre ajuda na colocação e posicionamento dos cateteres com segurança, será retirado após.
 

TÉCNICA POR PUNÇÃO FEMORAL
 

PRO VIA RADIAL:

Com anestesia local na região radial (punho) faz-se a palpação da artéria radial, introduzindo-se uma agulha de punção. Após a punção, um fio guia é introduzido pelo lúmen da agulha. Retira-se a agulha e um introdutor é colocada no local, sendo guiado pelo fio guia, deixando-se na artéria somente a bainha do introdutor que servirá de via de acesso para a introdução e manipulação dos cateteres. O fio guia sempre ajudará na colocação e posicionamento dos cateteres.

 

TÉCNICA POR PUNÇÃO RADIAL

 

Completados os estudos necessários os cateteres e a bainha do introdutor são retirados. Aplica-se no local da punção femoral, pressão durante 15 a 20 minutos até parar totalmente o sangramento. É feito curativo compressivo no local por 12 horas. Se punção radial é feito curativo compressivo por 02 horas imediatamente após a retirada da bainha do introdutor. Troca-se o curativo por curativo oclusivo por mais 12 horas.

Curativo compressivo femoral

 

 

Curativo compressivo radial

 

EQUIPAMENTOS

Durante o procedimento utiliza-se um Polígrafo que é um computador sensível para monitorização de pressões e eletrocardiograma onde é possível registrar os traçados e pressões intra-cardíacas desejados . 

Outros aparelhos são também usados para obter maiores informações sobre o estado hemodinâmico e angiográfico do paciente, como:- 

Seringa injetora que é usada para injetar contraste nas grandes câmaras cardíacas ou grandes vasos. 

Aparelho de Termodiluição que fornece o Débito Cardíaco que é o volume de sangue que o coração bombeia por minuto. 

Oxímetro de pulso que fornece a saturação de oxigênio no sangue. 

Co-oxímetro fornece as saturações de oxigênio nas amostras de sangue. 

Desfibrilador cardíaco quando ocorrem arritmias graves durante o procedimento. 

 

INDICAÇÕES DO EXAME:-

Infarto Agudo do Miocárdio – IAM 

Angina Pectoris 

Doenças valvares 

Dissecção de Aorta 

Arritmias Cardíacas 

Embolia pulmonar 

Tamponamento Cardíaco 

Doenças congênitas:- CIA, CIV, PCA e outras.

 

CUIDADOS DE ENFERMAGEM PRÉ-CATETERISMO DIAGNÓSTICO:
 

1- Orientar paciente sobre o procedimento;

2- Jejum de 05 horas; 

3- Tonsura dos pelos (cortar com tesoura ou barbeador elétrico) da região inguinal bilateral, prega do cotovelo direito (face anterior) e punho direito; 

4- Venóclise em MSE, para manter veia; 

5- Ministrar tranqüilizante VO, 01 hora antes do exame; 

6- Verificar dados vitais, peso e altura; 

7- Retirar prótese dentária; 

8- Não retirar aparelho auditivo, se houver; 

9- Retirar anéis, pulseiras, brincos, correntes; 

10- Roupa hospitalar com abertura para frente; 

11- Estimular micção; 

12- Providenciar ECG recente; 

13- Pesquisar alergias; 

14- Verificar se autorização assinada pelo paciente ou responsável; 

15- Verificar se cateterismo prévio; 

16- Encaminhar com prontuário completo.
 

CUIDADOS DE ENFERMAGEM PÓS-CATETERISMO DIAGNÓSTICO:-
 

1- Repouso no leito por 05 horas (femoral) e por 03 horas (braquial ou radial) sem mover, apoiar ou dobrar o membro cateterizado;

2- Verificar o local cateterizado, como:- pulso, cor, temperatura a cada:- 

15 minutos na primeira hora 

30 minutos na segunda hora 

60 minutos nas três horas seguintes. 

3- Verificar PA e FC quando checar os parâmetros acima; 

4- Qualquer alteração comunicar a equipe médica; 

5- Se sangramento, comprimir o local e comunicar equipe médica; 

6- Dieta leve; 

7- Orientar o paciente sobre estes cuidados; 

8- Após a quinta hora permitir deambulação, verificando os parâmetros acima; 

9- Se possível, fazer ECG logo após procedimento, 

10- Orientar paciente para retirar curativo oclusivo após 12 horas e se dissecção braquial, os pontos depois de 08 dias. Se punção femoral, retirar curativo compressivo após 12 horas.
 

CATETERISMO CARDÍACO TERAPÊUTICO
 

ANGIOPLASTIA CORONÁRIA:-
 

Consiste na introdução de um cateter balão na luz da artéria coronária, exatamente na porção média da lesão, sendo o balão insuflado com contraste radiopaco. 

O objetivo é a expansão do diâmetro luminal da artéria.
 

CUIDADOS PRÉ-ANGIOPLASTIA CORONÁRIA:-
 

OS CUIDADOS PRÉ-CATETERISMO DIAGNÓSTICO SÃO UTILIZADOS AQUI. ALÉM DELES, HÁ NECESSIDADE DE:-

1- reservar leito na UTI; 

2- reservar sala cirúrgica; 

3- checar disponibilidade de equipe cirúrgica; 

4- reservar sangue do mesmo tipo do paciente; 

5- seguir protocolo médico de medicações. 
 

CUIDADOS PÓS-ANGIOPLASTIA CORONÁRIA:-
 

Após a angioplastia coronária o paciente é mantido com anticoagulação plena por 12 a 24 horas. A bainha do introdutor é retirada depois deste período quando a coagulação estiver normal.

1- repouso absoluto no leito;, 2- elevar cabeceira da cama até 45 graus; 

3- controlar bomba de infusão de Nitroglicerina e Heparina; 

4- controlar PA e P cada meia hora ( 4 vezes ), depois de hora em hora; 

5- verificar curativo na região inguinal a cada hora; 

6- dieta leve; 

7- retirar bainha do introdutor após normalização de coagulação sangüínea, se necessário anestesiar o local. 

8- Proceder cuidados pós-cateterismo diagnóstico por punção femoral.
 

ANGIOPLASTIA CORONÁRIA COM COLOCAÇÃO DE ENDOPRÓTESES CORONÁRIAS OU STENTS:-
 

Stent é um dispositivo em formato de mola de aço inoxidável, pequeno e entrelaçado que é introduzido na artéria coronária com obstrução por meio de um cateter balão. 

O cateter balão é inflado, o que provoca a expansão do stent, pressionando-o contra a parede da artéria. 

Após o balão ser desinsuflado e retirado, o stent fica na posição permanentemente, mantendo o vaso aberto.

VALVULOPLASTIA POR CATETER BALÃO:-

 

Consiste na passagem de um cateter balão desinsuflado pela válvula aórtica, mitral ou pulmonar e insuflamento do mesmo na tentativa do rompimento da válvula, diminuindo a estenose.

Valvuloplastia Pulmonar é relatada como sendo um método seguro e efetivo. 

O procedimento é realizado por punção percutânea femoral.

Os cuidados de enfermagem pré e pós são os mesmos para cateterismo cardíaco diagnóstico.

Abertura da válvula por cateter balão

 

Elaborado pela Equipe do Laboratório de Cateterismo Cardíaco/ HEMODINÂMICA