Radiofármacos para medicina nuclear serão produzidos no país

(08/06/2018) O professor Celso Darío Ramos, chefe da Medicina Nuclear do Hospital de Clínicas da Unicamp, representou nesta sexta-feira, o reitor da Unicamp, durante o lançamento da pedra fundamental do primeiro reator nuclear brasileiro para fabricar radioisótopos, como o molibdênio-99 (Mo-99), destinados à produção de radiofármacos.
 
O presidente da República. Michel Temer, presidiu a cerimônia de lançamento do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), que ocorreu no Centro Industrial Nuclear de Aramar, em Iperó (SP), a 130 km de Campinas. “A construção do primeiro reator nuclear brasileiro será importante para acabar com a dependência externa dos insumos para os radiofármacos”, explica Ramos.
 
Os radiofármacos são produzidos na forma de fármacos injetáveis, destinados ao diagnóstico e terapia de inúmeras doenças nas áreas de cardiologia, oncologia, hematologia e neurologia. Serão investidos R$ 750 milhões na obra, que possibilitará a fabricação de radiofármacos a preço de custo para o Sistema Único de Saúde (SUS).
 
O RMB é a solução para garantir segurança no suprimento de radioisótopos para a produção de radiofármacos, através da nacionalização da produção do radioisótopo Mo-99, garantindo segurança no fornecimento do gerador de tecnécio 99m, com o pleno atendimento da demanda da população brasileira, e de todos os outros radioisótopos produzidos em reatores de pesquisa, que hoje são importados pelo Brasil, para aplicação médica em diagnóstico e terapia.
 
O RMB será utilizado também para testes de irradiação de combustíveis nucleares e de materiais e as respectivas análises pós-irradiação e para pesquisas científicas com feixes de nêutrons em várias áreas do conhecimento. No HC da Unicamp os radiofármacos são usados nos exames do PET/CT e SPECT/CT que fornecem diagnósticos mais precisos da localização de tumores, nos casos de pacientes com câncer, por exemplo, definindo o melhor tratamento para cada paciente.

Caius Lucilius  com Beatriz Bittencourt
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 
 

Share/Save