AGHUse está próximo de 750 mil acessos em 15 meses

(26/04/2018) O sistema de gestão hospitalar e prontuário eletrônico, o AGHUse, completa 15 meses com boas avaliações dos usuários em mais de 2500 pontos de rede da instituição. O piloto começou no ambulatório de Psiquiatria e hoje está em todo hospital. Atualmente, o sistema já recebeu 738.955 acessos de usuários da área assistencial (ambulatórios, enfermarias, centro cirúrgico, UTIs, UER, Radiologia, procedimentos especializados, farmácia, laboratórios entre outros), além dos profissionais da área administrativa.

O residente em oftalmologia (R1) Licio Eiji K Araujo (foto) conheceu o sistema quando estagiou no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e também no Hospital da Aeronáutica em São Paulo. Para ele, a interação com o AGHUse aqui no HC da Unicamp está sendo positiva. "Como lá em Porto Alegre, o AGHUse é bem prático e fácil de usar com os dados dos pacientes e da especialidade. Foi uma boa surpresa encontrar o sistema aqui em Campinas", comentou.

Para a residente da Otorrino, Flávia Demarco (foto), o AGHUse tem sido bem prático. "Ainda não uso muito, mas quando eu o utilizo, que é pra a marcação de retornos de consulta, tem sido bem útil. E se você tem um auxílio antes para mexer fica mais fácil ainda", disse Demarco.

 
A parceria de cooperação técnica do AGHUse é com o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). A proposta de convênio entre os hospitais teve por objetivo, trazer para o HC da Unicamp o modelo de gestão hospitalar já utilizado no HC de Porto Alegre sem custos de licenciamento e em prol da evolução do sistema informatizado e dos processos de gestão hospitalar pela equipe da Divisão de Informática (DINF). As funcionalidades do AGHUse estão sendo implantadas gradualmente e uma das últimas será a eliminação do papel.
 
Faz parte do novo sistema de gestão hospitalar um prontuário informatizado de cada paciente, suas informações clínicas; pedidos de exames; receitas de medicamentos; realiza também a gestão das internações, contemplando todas as operações: gestão de leitos, transferência de paciente, alta administrativa e cirurgias. O sistema informatizado é alimentado em tempo real. A implantação do sistema tem trazido benefícios a todos os usuários, desde facilitar processos, até melhorar a vida dos pacientes, que terão em seu prontuário todo o seu histórico médico registrado.
 
Para o Maria Aparecida Pontes Jorge (foto), diretora da Divisão de Ambulatórios e Procedimentos Especializados, o AGHUse foi salto de qualidade muito grande, exatos 30 anos após a entrada do sistema antigo. Segundo ela, o AGHUse dispõem de uma série de ferramentas que não existiam e hoje permitem ao gestor conhecer tudo sobre o que está acontecendo com o paciente e com as unidades internas do hospital. "Nós imaginávamos que teríamos muito mais problemas com o AGHUse, porém, estamos nos adaptando muito bem com nossas especificidades", enfatizou.
 
Cida Jorge traz um exemplo, entre muitos. Com o AGHUse é possível a marcação de consultas até 2019. Antes os pacientes teriam que esperar abrir o sistema - geralmente no final do ano - e depois voltar para marcar o retorno, gerando mais trabalho ao usuário inclusive custo de deslocamento. A implementação do novo sistema está praticamente eliminando os erros de marcação de consultas e procedimentos, a perda de documentos e os arquivamentos errados, o que representa mais agilidade e consequentemente, redução de custos.
 
Glaucia de Pereira do Amaral Carvalho (Foto), enfermeira do ambulatório de cirurgia, deu ênfase a eliminação de agendas de papei e a facilidade de interação com o sistema . "No meu caso, o AGHUse na questão de agendamento tem sido bom e de fácil acesso. Nele, nós conseguimos marcar o retorno para os pacientes sem que eles precisem subir até o agendamento no 3º andar para marcar os retornos, exames etc", informa a enfermeira.
 
“O AGHUse é um sistema completo, moderno, desenvolvido dentro de padrões internacionais de qualidade e segurança de software, possui prontuário eletrônico e todos os módulos para gestão clínica e administrativa para um hospital terciário de grande porte. O modelo de gestão abrange os processos, as ações administrativas, os controles operacionais, os fluxos de trabalho e as análises de informações e indicadores do hospital, buscando melhorar a eficiência operacional, econômica e administrativa”, explica Edson Luiz Kitaka, diretor de Divisão de TI do HC da Unicamp.

Caius Lucilius  com Beatriz Bittencourt
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 

Share/Save