Deputado Paulo Freire visita Lab. de Microbiologia Clínica do LPC

(09/02/2018) O deputado federal Paulo Freire fez questão de conhecer um dos equipamentos de análises laboratoriais mais modernos que existe no mundo: o espectrômetro de massa, com tecnologia MALDI-TOF (matrix assisted laser desorption ionization-time of flight mass spectrometry), para identificação de bactérias, micobactérias e fungos. O deputado foi o responsável pela aquisição do equipamento ao custo de R$ 1.108.073,00 através de emenda parlamentar ao orçamento da União.

A incorporação do MALDI-TOF ao parque tecnológico da instituição, enquadra o Hospital de Clínicas da Unicamp em um seleto grupo de hospitais públicos do país para o benefício da população. Esta tecnologia apresenta altos padrões de rendimento, sensibilidade e precisão, proporcionando resultados em poucos minutos, com baixo consumo de reagentes, baixo custo e mínima geração de resíduos.

O deputado Paulo Freire foi ao Laboratório de Patologia Clínica após a cerimônia de entrega dos equipamentos realizada no anfiteatro do hospital. A explicação sobre as vantagens do MALDI-TOF foi realizada pelos professores Kleber Yotsumoto Fertrin, Carlos Emílio Levy e pela bióloga Ana Lúcia Roscani Calusni.

O espectrômetro de massa está instalado no Laboratório de Microbiologia Clínica da Divisão de Patologia Clínica do HC, onde realiza, em média, 1500 identificações ao mês. Através desta técnica, diz o diretor do Laboratório de Patologia Clínica Kleber Fertrin, é possível identificar rapidamente gênero e espécie, de diversos patógenos de alta relevância clínica, auxiliando, assim, o diagnóstico preciso. “Inclusive, a identificação do patógeno no momento da detecção de crescimento de cultura de sangue, reduzindo o tempo deste resultado”, explica.

De acordo com Fertrin, a partir do momento em que a amostra é inserida no equipamento, a análise é efetuada em menos de um minuto. Exames de identificação de patógenos que chegavam a demorar até 3 dias, podem ser finalizados em menos de 24 horas. “Com isso, a equipe médica assistente pode adequar a terapêutica antimicrobiana com maior rapidez, tanto para ajuste de espectro, quanto para suspensão do medicamento, salvando vidas e mudando prognósticos”, destaca Fertrin.

Segundo Kleber Yotsumoto Fertrin, as vantagens do equipamento significam um grande salto de qualidade para investigação e identificação de culturas positivas de microrganismos, dentre inúmeras outras aplicações. Esta técnica já é amplamente utilizada em laboratórios clínicos de grande parte da Europa, Canadá, Austrália.

A tecnologia do MALDI-TOF, uma aplicação da espectrometria de massa à microbiologia: o material é colocado em uma placa com matriz e bombardeado com um laser que o evapora; um sistema ioniza e aspira o material volatilizado, que chega a detectores, os quais registram o tempo em que a substância chega ao detector e sua quantidade. Cada patógeno tem um espectro característico que é analisado por um software que sempre será atualizado.

A espectrometria de massa começou a ser aplicada na identificação de microrganismos nos anos 1970. Porém, o grande impulso para desenvolvimento da tecnologia foi dado em 1987 por Tanaka et al. que conseguiram ionizar grandes moléculas por laser ao utilizar uma matriz composta por partículas de cobalto e glicerol. A demonstração da ionização de proteínas através da combinação de feixes de laser de determinado comprimento de onda e de uma matriz conferiu prêmio Nobel de química para Tanaka em 2002.

Caius Lucilius 
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 

Share/Save