Semana do idoso tem programação especial no HC

(26/09/2017) A Comissão Organizadora da Semana da Pessoa Idosa do HC, o Ambulatório de Geriatria e Serviço Social promoveram, de 27 a 30 de setembro, a Semana da Pessoa Idosa 2017. Este ano o tema será "Cada um tem a idade de seu coração, da sua experiência, da sua fé". Realizado há 13 anos, o evento tem como objetivo chamar atenção para os direitos, conquistas e desafios que os idosos enfrentam em seu cotidiano. Entre os beneficiários da ação estão idosos atendidos no HC, funcionários e pessoas interessadas no tema. O HC atende hoje cerca de 130 pacientes por mês no Ambulatório de Geriatria.

A abertura da semana especial acontecerá na manhã do dia 27 de setembro, no anfiteatro do hospital, com a apresentação do coral ‘Flor da 3ª idade’, seguido por palestra e debate. “É muito importante que o idoso participe de maneira ativa dos próprios direitos e que tenham conhecimento sobre como podem melhorar sua qualidade de vida. O esclarecimento é fundamental para que se sintam confiantes em participar mais ativamente na sociedade”, explica a Assistente Social, Ana Maria de Arruda Camargo. 

O evento ainda contará com oficinas e palestras nas salas de espera dos ambulatórios do 2º e 3º andar do HC que serão desenvolvidas pelos alunos da Pós-Graduação em Gerontologia. Temas como medicina popular e exercícios físicos na terceira idade terão destaque nas apresentações. “Nós da área da saúde precisamos esclarecer o idoso, mostrar uma nova perspectiva sobre os cuidados com a saúde”, reitera Ana Maria.

Para o médico geriatra, professor  André Fattori , a campanha é importante para alertar a sociedade sobre o envelhecimento da população e a falta de preparo nos cuidados a esse grupo. “Os aspectos que envolvem o cuidado com a pessoa idosa não se restringe apenas nos cuidados à saúde, mas de maneira multidisciplinar. É preciso que dentistas, fisioterapeutas, educadores físicos, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, estejam aptos na promoção de saúde e bem estar do idoso, a fim de promover um envelhecimento bem sucedido a essa fatia da nossa população. Vale salientar que todos vamos precisar desse tipo de atendimento, por isso, é preciso que o acolhimento faça parte de todas as disciplinas”, exalta o especialista.

Flor da 3ª idade
O grupo que hoje conta com a participação de 50 idosos, existe há mais de 20 anos e promove quinzenalmente, reuniões com temas sobre saúde e cidadania, além atividades de culturais e de lazer, passeios e participações em eventos sobre os direitos das pessoas idosas. “Aqui eu tenho muitas atividades, muitos amigos e muita alegria”, nos conta o idoso José Gonzales, um dos integrantes do grupo.

Composto por uma equipe multidisciplinar do ambulatório de geriatria, o Flor da 3ª idade também conta com um coral, que possui vozes de homens e mulheres, todos idosos, com um único ideal: promover alegria e bem estar. Para uma das integrantes, Ângela de Freitas Ianella, de 70 anos, sua participação no coral vai muito além da música. Para ela, a amizade é o mais importante: “Eu estou no coral há cinco anos e trouxe comigo mais de 10 participantes. Aqui eu formei uma nova família e é muito gratificante ver como essa nossa união nos faz bem”, exalta.

E é justamente essa união amistosa que ajudou Joaquina de Lima Teixeira, 62 anos, a se curar de uma depressão. Segundo a idosa, após o falecimento do marido, passou a se sentir muito triste e solitária. “Depois de 40 anos de casados é muito difícil se ver sozinha. Quando vim para cá tudo mudou, fiz novos amigos e ocupei meu tempo. É como já nos diz ditado sobre mente vazia”, explica a aposentada.

Caius Lucilius  com Juliana Castro
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

 

Share/Save