HC busca voluntários para pesquisa em Neurologia

(31/07/2017) O Programa de Neuro-AVC do Departamento de Neurologia da FCM busca voluntários para pesquisa de Fisioterapia, Reabilitação Virtual e AVC para avaliar os efeitos do uso de Realidade Virtual (RV) em pacientes que possuam sequelas originadas por um AVC. O projeto visa estudar pacientes entre 45 e 70 anos e oferecerá atendimento fisioterapêutico gratuito no ambulatório de Neurologia do HC.

O estudo será conduzido por equipe multidisciplinar composta por neurologistas, fisioterapeutas e físicos, que utilizarão a tecnologia de softwares de Realidade Virtual (RV), voltados à reabilitação motora e neurofuncional. O objetivo é beneficiar pacientes que necessitam de tratamentos de reabilitação física de média e longa duração, como é o caso de quem sofre Acidente Vascular Cerebral (AVC).

"Além de ter a oportunidade de receber avaliação em exames, o interessado em participar da pesquisa estará ajudando a ciência a encontrar respostas e resultados que podem vir a ajudar muitas pessoas", conclui Li Li Min, coordenador do Programa de Neuro-AVC do Departamento de Neurologia da FCM. 

A fase inicial contará com avaliação clínica e ressonância magnética, seguindo então, na fase seguinte, para o início do tratamento, que pode ser convencional ou com Realidade Virtual. A terceira e última etapa contará com novos exames e avaliação final. A previsão é de que a duração do tratamento seja de dois meses, com sessões uma vez por semana. Vale salientar que o paciente não pagará pelo tratamento, assim como também não será pago pela participação.

O projeto é financiado pela Fapesp e possibilita que o paciente seja inserido no ambiente virtual à medida em que faz movimentos com as pernas e braços, sem sair do lugar, por meio de softwares para jogos digitais que utilizam a Realidade Virtual (RV) como forma de complementar a terapia convencional em pessoas que convivam com variadas limitações físicas e cognitivas.

Para o pesquisador do Instituto de Física (IFGW) da Unicamp e responsável pela criação dos programas, Alexandre Brandão, “O software poderá mensurar os dados coletados para que o terapeuta saiba se o tratamento está sendo efetivo ou não”, afirma.

O AVC decorre da alteração do fluxo de sangue ao cérebro. Responsável pela morte de células nervosas da região cerebral atingida, o AVC pode se originar de uma obstrução de vasos sanguíneos, o chamado acidente vascular isquêmico, ou de uma ruptura do vaso, conhecido por acidente vascular hemorrágico, este o de maior risco de morte. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, o número de mortes por AVC chega a quase 100 mil pessoas todos os anos. Em 2000 foram 84.713 óbitos, atingindo um pico de 99.726 em 2010. Quando a vítima não chega ao óbito, não raramente termina com sequelas graves e limitadoras que acabam comprometendo movimentos de alguns membros ou de todo o corpo.

Sobre o software

Gesture Collection, como foi batizado, é o conjunto de aplicativos de Realidade Virtual (RV) que permite a interação do paciente com ambiente virtual por meio de gestos utilizando o conhecido dispositivo Kinect. O sensor, que ficou famoso em 2010 com o videogame Xbox da Microsoft, tem sido muito utilizado para favorecer a Interação Humano-Computador (IHC) sem o uso das mãos, ou seja, atividades que podem controlar máquinas ou computadores sem a necessidade de utilizar itens convencionais, como um mouse ou um teclado, por exemplo.

Dentre os aplicativos estão o GestureMaps, que transporta o paciente para dentro do Google Street View e possibilita que ele caminhe, sem sair do lugar, apenas com movimentos que simulem a ação, por ruas e cidades previamente cadastradas na plataforma; o RehabGesture que permite ao especialista (Fisioterapeuta ou Terapeuta Ocupacional) saber em tempo real os movimentos necessários para a realização das atividades físicas e colaborar com um registro das dificuldades e progressos do paciente, auxiliando o profissional no diagnóstico; além de jogos como xadrez, fliperama e o tão conhecido quebra-cabeças.

A Realidade Virtual é aquela em que o paciente se insere numa interface em três dimensões (3D) e participa de um determinado cenário, ou seja, todos os movimentos são reproduzidos dentro de um ambiente fictício.

Os interessados na pesquisa devem contatar a Fisioterapeuta Alline Camargo, no telefone (19) 99612-5496, de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h. Outras infiormações também através dos e-mails: camargoalline@live.com

Caius Lucilius  com Caroline Roque Juliana Castro
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

Share/Save