Reitor inaugura a nova Unidade Coronariana do HC

(17/07/2017) O Hospital de Clínicas da Unicamp entregou nesta quarta-feira (19/07), com a presença do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel e do superintendente do HC, João Batista de Miranda, a nova área da Unidade Coronariana (UCO) completamente modernizada. O local - com 288 metros quadrados - foi reformado, climatizado e adequado para 10 leitos sendo um de isolamento. O investimento nas obras e materiais foi de cerca de R$ 850.000,00 e os equipamentos (camas, monitores e central de monitorização) foram comprados com recursos de emendas parlamentares e de programas do Ministério da Saúde.
 
O evento contou também com a presença do professor emérito e fundador da Unidade de Terapia Intensiva do HC, Renato Giuseppe Giovanni Terzi; do professor Otávio Rizzi Coelho, Coordenador da Unidade Coronariana (UCO); do professor Manoel Barros Bertolo, Diretor da Área da Saúde da Unicamp (DEAS); do professor Antônio Gonçalves de Oliveira Filho, Coordenador de Assistência do HC; do professor José Roberto Matos-Souza, Coordenador de Administração do HC, além de dirigentes, docentes, alunos e funcionários. O deputado federal Luis Lauro Filho foi representado pela assessora Joelma Porto. 
 
Nesse primeiro momento, apenas os seis leitos atuais estarão operacionais, enquanto a superintendência aguarda o credenciamento dos outros quatro junto ao Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde. A Unidade Coronariana do HC da Unicamp recebeu no ano passado 2030 pacientes. A área da antiga UCO será reformada e deverá ser incorporada no futuro à UTI Geral. A reforma foi assegurada e concluída na gestão do reitor Fernando Costa e aguardou avaliações da superintendência para a destinação mais adequada, no caso a UCO.
 
A importância dos investimentos financeiros feitos no hospital pelos últimos reitores - Fernando Costa e Tadeu Jorge - foi salientada pelo Diretor da Área de Saúde da Unicamp: “Quando o dinheiro é bem empregado, vemos o resultado em equipamentos de alta qualidade para oferecermos sempre atendimento adequado aos nossos pacientes”, afirmou Bertolo.
 
Durante o evento, o Superintendente João Batista de Miranda destacou o apoio da Administração Central da Unicamp e de parlamentares à área de saúde da Universidade. Segundo ele, o apoio revertido à Unicamp, não apenas financeiro, mas em todos os aspectos favorecem para a prosperidade do Hospital. “Agradeço a todas as disciplinas do HC e aos funcionários, sem a união de todos isso não seria possível. Hoje todos falam em crise, mas o que estamos vendo não é milagre, é trabalho”, ressaltou Miranda.
 
A UCO do HC da Unicamp é uma unidade de terapia intensiva e semi-intensiva cardiológica, destinada a pacientes submetidos a cirurgias cardíacas, procedimentos diagnósticos e terapêuticos em eletrofisiologia e cardiologia intervencionista (hemodinâmica). Recebe ainda, as emergências cardiológicas da UER como infarto do miocárdio, pacientes com doenças cardíacas agudas ou descompensação aguda de cardiopatia crônica.
 
Para o Coordenador da Unidade, professor Otávio Rizzi Coelho, a inauguração do novo espaço é traduzida como um sonho se tornando realidade: “Não resta dúvida que este novo espaço é um grande passo para o nosso hospital”, comemora.
 
Também discursou o idealizador e fundador das Unidades Intensivas do HC. Ele relembrou o crescimento do hospital nos últimos 30 anos e a importância de todo o trabalho da superintendência e dos funcionários que favorecem a todos os usuários da saúde pública. “Agradeço pelo trabalho que fizeram para oferecer alento aos nossos pacientes do SUS, que precisam muito desse suporte”, concluiu Giovanni Terzi.
 
O reitor da Unicamp fechou a solenidade e exaltou a importância de recursos de emendas parlamentares à área de saúde da Universidade e festejou a nova estrutura, que oferecerá mais conforto e benefício às pessoas que recorrem ao HC. “A nova Unidade Coronariana é, sem dúvida, um grande passo para o HC, mas ainda é pouco para o que precisamos fazer pela saúde do país”, comentou.
 
Marcelo Knobel ressaltou o valor humano dos funcionários da Unicamp e especialmente do Hospital de Clínicas, que tem sido cada vez mais importante para a população de  mais 100 municípios na região e até de outros estados. "Estamos continuamente atentos e buscando novas formas de financiamento para o HC e outras unidades da Saúde da Unicamp, na cidade, no estado ou em Brasília".

O espaço, que é um dos mais bonitos do HC, começou a ser reformado na gestão anterior, do professor Manoel Bertolo com apoio da reitoria na gestão do professor Fernando Costa. "O projeto valoriza as necessidades da área e os resultados foram melhores que o esperado, pensando inclusive no bem estar do paciente com muita iluminação natural", destaca o arquiteto responsável, Isac Lopes.
 
Sobre Unidade Coronariana (UCO)
Entre os equipamentos da nova unidade estão 10 novos monitores multiparamétricos de alta precisão, modelo B-650 de 15 polegadas, sensíveis ao toque (touchscreen), avaliados em R$ 310.000,00. Esses monitores oferecem mais parâmetros complexos como eletrocardiograma (ECG), respiração, oximetria de pulso (SpO2), pressão invasiva e não invasiva, monitorização de eletroencefalografia (EEG), transmissão neuromuscular (TNG), calcular a quantidade de medicamentos para infusão intravenosa e entre outras análises avançadas.
 
As novas camas - totalmente automatizadas - são importadas e proporcionam maior conforto e segurança ao usuário, além de melhor qualidade de trabalho para a equipe de enfermagem, já que são mais leves (termoplástico de alta resistência) e acionadas por controles de comando manuais. Também oferecem vários movimentos por comandos elétricos que permitem posicionar pacientes de até duzentos quilos, e todas possuem a quinta roda que proporciona mais agilidade de deslocamento com giro de 360 graus. O investimento foi de R$ 126.000,00.

Já a central de monitorização fica instalada em um amplo posto de enfermagem e é responsável por apresentar os dados de todos os monitores presentes na unidade centralizando o monitoramento dos pacientes em dois terminais. A central tem capacidade de visualizar simultaneamente até 16 leitos. Este equipamento registra por 24 horas, os dados clínicos de todos os leitos monitorados, o que permite acompanhar a evolução dos pacientes através de histórico de alarmes, curvas e tendências.

Saiba mais em:
Jornal da EPTV 1ª edição
Correio Popular

CBN Campinas
G1 Campinas
Jornal Metro
Rádio Brasil

 

Caius Lucilius  com Caroline Roque Juliana Castro
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 

Share/Save