Recuperação rápida de amputação surpreende equipes

(20/06/2017) No Hospital de Clínicas da Unicamp, um caso de sucesso em reabilitação de amputação ortopédica chamou a atenção das equipes de fisioterapia e ortopedia que, durante três meses, prepararam o paciente Jose Roberto Rocha Aguilar, de 43 anos, para receber uma prótese de pé, menos de um ano após uma amputação que foi submetido. Os resultados excelentes da recuperação se devem ao atendimento integrado e multiprofissional ao paciente que, por sua vez, demonstrou disciplina e força de vontade durante todo o processo de adaptação.

“Uma amputação mexe com a imagem corporal da pessoa, cada paciente reage de forma diferente, mas neste caso a evolução dele foi muito rápida”, afirma Michael Davitt, coordenador da Unidade de Órtese e Prótese do HC.

Em outubro de 2016, Jose Roberto sofreu um acidente ao colidir sua moto com um caminhão. Ele foi encaminhado ao HC pelo helicóptero Águia da Polícia Militar, passou por cirurgia devido à uma fratura na patela (rótula), do joelho direito e teve o pé direito amputado. Ao todo foram 72 dias de internação, e a reabilitação começou logo no dia seguinte à cirurgia na enfermaria de ortopedia do HC. 

Após receber alta hospitalar, o paciente deu sequência na reabilitação da fratura do joelho e também do coto da amputação no Serviço de Fisioterapia, algo inédito para a área, que costuma tratar somente de lesões. Ao mesmo tempo, a Unidade de Órtese e Prótese deu orientação sobre enfaixamento do coto de amputação, essencial para modelar a anatomia adequada (cônica-oval), para receber prótese. 

“Em poucas semanas o coto ficou no formato adequado, principalmente pela interação do paciente com tudo o que foi oferecido pelo hospital, a forma como ele lidou com a situação e a disciplina que teve. Se não tivesse ocorrido desse jeito, talvez não teria a possibilidade de protetizar a amputação”, explica Evelyn Couto, supervisora do Serviço de Fisioterapia.

A reabilitação de Jose Roberto foi realizada pela equipe de aprimoramento de fisioterapia em ortopedia e traumatologia, que se surpreendeu com a postura do paciente durante as sessões. “O aspecto psicológico dele foi fundamental. Ele passou força para a equipe durante todo o processo, uma positividade que contagiou todos”, destaca Evelyn.

A prótese foi adquirida com recursos do paciente e através de doações de amigos. O custo total foi de R$ 10 mil. “Coloquei a prótese para voltar mais rápido, é muito difícil ficar de muleta. Meu objetivo é me superar para voltar à vida normal, não podemos nos entregar por qualquer coisa”, afirma Jose Roberto.

O paciente continuará com as sessões de fisioterapia, pois a reabilitação do joelho ainda não está completa. As atividades têm como base os exercícios funcionais no qual o uso de peso do próprio corpo propicia o fortalecimento muscular. “Colocar exercícios funcionais na base da reabilitação é uma tendência em muitos serviços de fisioterapia atualmente, eles ajudam o paciente a retornar com as funções da vida diária, sem comprometer a produtividade e participação social”, acrescenta Evelyn Couto.

Reabilitação e fisioterapia funcional
A reabilitação no ambulatório de fisioterapia ortopédica do SFTO passou por uma reformulação de práticas e conceitos, introduzindo os exercícios funcionais como foco de tratamento desde o início deste ano. Esses exercícios respeitam os movimentos naturais e integram grupos musculares utilizando o peso do próprio corpo. 

Combinam variações que associam grupos musculares fornecendo força, equilíbrio e resistência, além de melhorar a percepção da posição articular do corpo como um todo. A atividade gera motivação, já que a idéia é utilizar exercícios livres com o mínimo de auxilio ou aparatos, fugindo assim da forma convencional de realizar exercícios de maneira segmentada.  

Outro aspecto relevante é a socialização, pois a fisioterapia pode ocorrer de forma individualizada ou em grupos, com exercícios sequênciais ou em circuito. Assim, os resultados da reabilitação são rápidos e eficientes, pois trazem diversos benefícios.

Caius Lucilius  com Caroline Roque e Juliana Castro
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 
 

Share/Save