Cateterismo Cardíaco

 
 
Coordenador
Prof. Dr. Eduardo Arantes Nogueira 
Docente responsável pelo Laboratório de Cateterismo Cardíaco/HEMODINÂMICA
Dr. Walasse Rocha Vieira 
Dr. André Eduardo Gomes 
Dr. André Luís Westin Bittar – médico estagiário
 
EQUIPE DE ENFERMAGEM
Dra. Solange Martins Viana – Enfermeira 
Ivone Rodrigues Lourenço da Silva-Técnica de Enfermagem 
Gepiton Pereira – Técnico de Enfermagem 
Maria Lúcia Bristotti Fernandes de Mello – Técnica de Enfermagem 
Vera Lúcia Cariaga da Silva - Técnica de Enfermagem
 
Equipe de Técnicos em Hemodinâmica
Sylvio Luiz Lucchi – Biólogo 
Valdemir Nogueira – Técnico em hemodinâmica
 
Equipe de Secretários
Mirian Rosane de Souza 
Roseli Isabel Botaro de Barros 
Wilson Roberto Eleutério
 
Laboratório de Cateterismo Cardíaco/Hemodinâmica 
O Laboratório de Cateterismo Cardíaco/Hemodinâmica do Hospital de Clínicas da Unicamp é credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Campinas. Inaugurado em 1987, o Laboratório atende cerca de 100 pacientes/mês e deste total, cerca de 20 % são procedimentos terapêuticos. O maior número de usuários é constituído por pacientes acima de 50 anos de idade, principalmente homens com fatores de risco para o desenvolvimento de placas ateromatosas.
 
Localizado no 2º andar do Hospital de Clínicas, próximo ao Serviço de Imaginologia e Unidade de Emergência Referenciada (UER). No Laboratório de Cateterismo Cardíaco 80% dos casos são de diagnóstico e 20% de procedimentos terapêuticos, sendo a angioplastia coronária sua grande maioria. Desde 2002 quando o Laboratório de Cateterismo recebeu um novo equipamento digital, todos os procedimentos geram um laudo médico e um CD com imagens que ficam disponibilizados tanto para o serviço quanto para os pacientes, no Serviço de Arquivo Médico do HC.
 
CATETERISMO CARDÍACO - DIAGNÓSTICO
 
O cateterismo cardíaco é um procedimento invasivo, ou seja, um procedimento no qual é colocado um cateter, que é um tubo fino, comprido e mole, em uma veia ou artéria que são vasos sangüíneos que chegam até o coração, para estudos. Pode ser feito pelo braço direito por dissecção (com um pequeno corte) e pelos punhos ou pelas virilhas por punção (com uma agulha).
 
O procedimento utiliza cateteres para registros de pressões, colheita de amostras sanguíneas e injeções intra-cardíacas de contraste radiopaco. Neste procedimento são usados Raios-X na forma de fluoroscopia para dirigir o cateter ao local a ser estudado e cinefluoroscopia para registro de imagens digitalizadas em CD. Para cada local a ser explorado usam-se cateteres de medidas e angulações diferentes. A aparelhagem fornece imagens digitais e sinais vitais tanto de adultos como de crianças, em tempo real e com grande riqueza de detalhes.
 
Hoje, o cateterismo cardíaco tem-se desenvolvido muito, sendo o exame mais preciso que se tem conhecimento para o diagnóstico de problemas cardíacos, como o entupimento (obstrução) de uma artéria do coração. Na maioria das vezes, é um procedimento essencial para que se possa realizar cirurgia cardíaca.
 
Todos os exames são realizados por um médico especialista junto com a equipe de enfermagem e técnicos preparados que utilizam inclusive, roupas especiais para cirurgia. Geralmente, o paciente permanece acordado, e ajuda o médico na realização de seu exame como: respirando profundamente, segurando o ar nos pulmões por alguns segundos, repetidamente.
 
A anestesia é local no adulto e na criança o procedimento é realizado sob anestesia geral.
 
Com muitos equipamentos como monitores de vídeo a realização desse procedimento é feita em ambiente escuro. Quando feito pelo braço é preciso retirar os pontos depois de 8 dias em Postos de Saúde. Quando feito pelo punho o paciente permanece em repouso por três horas e o curativo compressivo é trocado depois de duas horas para curativo oclusivo. Quando feito pela virilha o paciente permanece em repouso, sem mexer a perna, onde fez o procedimento, por cinco horas e é colocado um curativo compressivo (bem apertado) no local. Pode ocorrer hematoma no local (fica roxo), mas desaparece em alguns dias. Todos os curativos devem ser retirados após 12 horas.
 
Para todos os pacientes existe a necessidade de se tomar alguns cuidados antes do procedimento que serão fornecidos por ocasião do agendamento.
 
ANGIOPLASTIA CORONÁRIA COM COLOCAÇÃO DE STENT
 
A angioplastia coronária é um procedimento terapêutico para a abertura de um entupimento de uma artéria do coração usando-se um cateter que possui um pequeno balão na sua ponta. Nesses casos este balão está envolvido por uma pequena mola de aço inoxidável entrelaçado, chamada de “stent”. O balão e o stent são colocados vazios no local onde existe o entupimento (obstrução) e o balão é inflado (cheio) com soro e contraste radiopaco.
 
Quando o balão é inflado o Stent também de abre, pressionando a obstrução contra a parede da artéria. Após o balão ser desinflado e retirado, o “stent” fica na posição permanentemente, mantendo a artéria aberta. O procedimento pode ser feito pelo braço direito por dissecção, punhos ou virilhas por punção. O mais comum é realizar pelas virilhas (regiões inguinais).
 
A Angioplastia Coronária com colocação de Stent é muito importante, pois, pode evitar que se faça uma cirurgia no coração para colocação de pontes. Todo o procedimento é visualizado através de monitores de vídeo e suas imagens gravadas em CD, exatamente onde foi realizada a abertura da obstrução que causava problemas ao coração.
 
Como no cateterismo diagnóstico, o procedimento é feito por médicos especialistas junto com a equipe de enfermagem e técnicos preparados que usam roupas especiais para cirurgia. Na Angioplastia Coronária o paciente também permanece consciente, auxiliando o médico na realização do procedimento. Recomenda-se ao paciente que ao sentir qualquer sensação diferente (dor no peito ou braço esquerdo, ânsia de vômito, calor, coceira e outros), avise imediatamente ao médico ou a equipe de enfermagem presentes na sala de procedimentos.
 
Após o procedimento, o paciente fica com curativo oclusivo no local, pois, permanece com o introdutor que é um pequeno cateter bem curto e com válvula para não sangrar. Isto é preciso, pois, o paciente recebe doses altas de anticoagulante (para afinar o sangue) que é necessário para a realização da Angioplastia Coronária. O introdutor será retirado após a normalização da coagulação sanguínea e para isto são realizados exames de sangue.
 
Com a retirada do introdutor é feito um curativo compressivo (bem apertado) no local e o repouso será de cinco horas. Para a realização da Angioplastia Coronária com Colocação de Stent é necessário internação hospitalar de 02 a 03 dias.
 
Alguns procedimentos diagnósticos e terapêuticos que são realizados em nosso Laboratório de Cateterismo Cardíaco/ Hemodinâmica:
- Angiocoronariografia
– Ventriculografia
– Aortografia
– Arteriografia pulmonar
– Biópsia endocárdica
- Angioplastia coronária com balão
– Angioplastia coronária com colocação de endoprótese ou STENT
– Estudos de Cardiopatia valvular
– Valvoplastia pulmonar 
- Colocação de Marca-Passo temporário
– Estudo de Cardiopatia Congênita
– Atriosseptostomia
- Determinação das pressões intra-cardíacas
- Determinação dos fluxos cardiovasculares e das resistências vasculares
Todo o agendamento é feito através de uma consulta médica prévia as terças-feiras no Ambulatório de Cardiologia do Hospital de Clínicas.