voltar
  .
SEMC II
    SERVIÇO DE ENFERMAGEM MÉDICO-CIRÚRGICA II

SEJAM BEM VINDOS

 

  

Missão 

Prestar assistência de enfermagem dentro de princípios, científicos, éticos e de humanização a pacientes adultos e pediátricos, clínicos e cirúrgicos, em estado crítico, semi-crítico, intermediário e auto-cuidado, encaminhados do Pronto Socorro, Centro Cirúrgico, Unidade de Terapia Intensiva, Ambulatórios do Hospital das Clínicas, de outros serviços de Campinas, da macro região de Campinas e de outros estados, integrando esta assistência ao ensino e pesquisa desenvolvido na Faculdade de Ciências Médicas e contribuindo para a prevenção de seqüelas de doenças e recuperação das condições de saúde.

NEGÓCIO

Cuidado de enfermagem e saúde.

VALORES OU PRINCÍPIOS

  • Respeito ao cliente e família
  • Ética profissional

Compromisso com o cuidado com qualidade

Estrutura física e distribuição por disciplina

As unidades de internação e leito dia em Aids estão localizadas no sexto andar e comportam as seguintes especialidades:

C6P1 - Gastrocirurgia, Gastroclínica, Transplante Hepático e Cirurgia Plástica. Tel: 19-37887056.

C6P3 – Gastrocirurgia e Transplante Hepático. Tel: 19-378887405.

C6P2 - Pneumologia, Tisiologia, Cirurgia Toráxica e Urologia. Tel: 19-37887706.

C6P4 - Cardiologia, Cirurgia Cardíaca, Transplante Cardíaco e Urologia. Tel: 19-37887516.

E6P1 - Medicina Interna (EGA), Cirurgia Vascular e Imunologia. Tel: 19-37887175.

E6P3 - Medicina Interna (EGA). Tel: 19-37887425.

E6P2 - Moléstias Infecciosas (MI) e Oftalmo. Tel: 19-37887916.

E6P4 - Leito Dia em Aids (LD). Tel: 19-37887695.

Cada unidade tem capacidade para 18 leitos, exceto LD que são 10 leitos e 4 poltronas.

  • Área física

Posto de enfermagem: destinado a guarda de materiais de consumo e esterelizados, impressos, carro de emergência, geladeira para guarda de medicações e alimentos, terminal de computador de uso comum da enfermagem e medicina.

Quartos: 7 quartos com 2 leitos e 1 banheiro; 1 quarto com 4 leitos e 2 banheiros.

  • Áreas comuns aos dois postos

Salas: 1 para equipamentos para assistência de enfermagem (como biombos, hampers, suportes de soros ) e gaiolas de roupas; 1 para realizar exames e procedimentos; 1 para reuniões e aulas para medicina e enfermagem; corredores de circulação.

Expurgo: destinado à lavagem de materiais sujos e desinfecção de alguns materiais.

Copa: de uso da Divisão de Nutrição e Dietética, para atender os pacientes.

Copa dos funcionários: para o café e o lanche.

Salas do serviço de higiene e limpeza: 1 para a guarda e 1 para os cuidados com os materiais.

Pátio externo, salas do serviço social, secretaria, supervisão e diretoria de enfermagem, sala de aula, secretarias de disciplinas médicas, banheiros, elevadores.

Composição da equipe de enfermagem

Nossa equipe de trabalho está composta da seguinte forma:

Diretora: Professora Enfermeira Maria Rosa Ceccato Colombrini.

Supervisora da manhã: Enfermeira Nilce Rodrigues Viana Pato.

Supervisora da tarde: Enfermeira Mariana Panhan Ferraresso.

Supervisores da noite:

     Cardio/Pneumo (C6P2/P4 ): Enfermeiro Wálter Luíz Gambini.

     Gastro C6P1/P3: Enfermeiro Wálter Luíz Gambini.

     MI (E6P2): Enfermeira Marci Chiari Miguel.

     EGA (E6P1/P3): Enfermeira Marci Chiari Miguel.

     Secretária: Marisa Cardoso da Silva

Oficiais de enfermaria: Pneumo (C6P2): Maria do Carmo Baratella.

     Cárdio (C6P4): Rosemary Aparecida R Barbosa.

     Gastro (C6P3): Odete Barbosa.

     Gastro (C6P1): vaga em aberto

     EGA (E6P1): Neusa Pinson Fernandes.

     EGA (E6P3): Laudelene Correia dos S. Silva.

     MI ( E6P2): vaga em aberto

     Leito Dia (E6P4): vaga em aberto

Enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem.

A equipe de enfermagem do SEMC II está subordinada ao diretor do Departamento de Enfermagem HC/Unicamp, Enfermeira Vera Médice Nishide.

O telefone do serviço é: 19-37887653.

Funções e responsabilidades 

A diretora do serviço responde administrativa e tecnicamente nas 24 horas pela assistência prestada aos pacientes e pelos servidores atuantes.

Os supervisores atuam em assessoria com a diretoria da área em atividades administrativas e orientações técnicas em seus turnos de trabalho.

Os enfermeiros prestam a assistência direta aos pacientes críticos, realizam a prescrição, a evolução e as anotações de enfermagem, gerenciam e coordenam a equipe e o posto de enfermagem sob sua responsabilidade.

Os técnicos e auxiliares de enfermagem executam a assistência de enfermagem através de procedimentos técnicos como a administração de medicamentos, a realização de curativos, a verificação de sinais vitais, os controles de ingesta e eliminações, a higiene corporal, os transportes e as transferências de pacientes, fazem as anotações de enfermagem, executam a prescrição de enfermagem, etc.

Os oficiais de enfermaria realizam a reposição dos soros e das soluções usadas nas unidades, encaminham os pedidos de interconsultas e os exames, fazem os agendamentos de exames por telefone, solicitam a escolta para transporte de pacientes para realizarem exames e/ou cirurgias, organizam os prontuários dos pacientes, os impressos de uso médico e de enfermagem, os materiais de almoxarifado, etc.

Rotinas de enfermagem

O trabalho é realizado em turnos nos seguintes horários: manhã (M): 6h55 às 13h10; tarde (T): 13h00 às 19h15; noite (N): 19h05 às 7h05.

O modelo de organização do cuidado adotado nas enfermarias é o modelo por equipe, em que o enfermeiro faz uma escala de trabalho para cada membro da equipe que assumirá todos os cuidados para determinado paciente cabendo ao enfermeiro assumir a SAE e os cuidados com os pacientes graves.

A recepção e a passagem de plantão, acontecem nos três turnos e devem ser respeitadas pela equipe médica, pois delas dependem a continuidade da assistência e a boa comunicação entre as equipes.

A verificação dos sinais vitais, acontece uma vez por plantão de rotina e para os pacientes críticos quantas vezes forem necessárias, de acordo com o quadro clínico e registrados na folha de controle do paciente.

Os curativos de catéteres como intracath, flebotomia, incisões limpas e outros, serão feitos uma vez ao dia de acordo com a divisão dos leitos por turno M, T , N. Os outros curativos serão feitos de acordo com a prescrição do enfermeiro e com as soluções padronizadas pelo Grupo de Feridas do HC. Caso seja de interesse dos residentes de medicina ou acadêmicos de enfermagem, estes poderão realizar os curativos contando com a supervisão de um docente ou com as orientações do enfermeiro da unidade. Se o médico quiser avaliar um curativo, o mesmo deverá avisar a equipe enfermagem para que esta solicite a sua presença no momento da troca, isso evitará desperdício de material e perda de tempo do funcionário.

Os materiais biológicos colhidos pela equipe médica através de punções de líquor, tórax, abdominal, biópsias, etc deverão ser encaminhados aos laboratórios pelo residente que fez o procedimento.

As medicações serão administradas de acordo com a prescrição médica do dia. Não serão cumpridas se a solicitação for verbal ou via telefone.

O enfermeiro é responsável pela liberação de visitas e/ou acompanhantes para os pacientes, isso será feito através do terminal do computador.

Somente a enfermagem ou oficial de enfermaria, deverão solicitar o Serviço de Escolta para os pacientes, pois esse serviço não aguardará o paciente que não esteja pronto para sair da unidade.

O Serviço de Escolta e transporte de paciente funciona de segunda à sexta feira das 7h00 às 19h00. Aos finais de semana e feriados esse serviço é realizado pela equipe de enfermagem da área.

A internação do paciente somente ocorrerá quando o leito estiver vago e liberado via sistema. Os pacientes de alta têm o direito de permanecer no leito até 24 horas após a sua alta. Em caso de fuga de paciente do HC, o enfermeiro deverá efetuar o boletim interno e o externo (Policial). O médico deve fazer o registro no prontuário das condições do paciente. A enfermagem deve fazer anotações na ficha e tirar o paciente do sistema.

Somente o enfermeiro poderá liberar o paciente para alta hospitalar, após fazer as orientações necessárias para o retorno, o uso de medicações conforme receita médica, orientações alimentares ou cuidados com sondas (SNE, SVD), gastrostomia, jejunostomia, retirar venóclises, sondas, orientar realização de curativos e outros. O paciente somente será liberado com um familiar ou responsável.

O transporte interno de pacientes graves, deverá ser acompanhado pelo médico, pelo enfermeiro da unidade e outros membros da equipe se necessário.

O transporte externo do paciente para realizar exames ou transferência deverá ser comunicado à enfermagem com antecedência, para que seja providenciado ambulância, acompanhante, lanche e materiais de urgência para os casos mais graves.

Os materiais de exames de urina, fezes, escarro, swabs e culturas são colhidos pela enfermagem, assim como os exames de urgência.

Durante a passagem de plantão a enfermagem não poderá ajudar em procedimentos médicos, exceto urgências, durante a passagem de plantão.

Quando for antecipado ou alterado o horário de cirurgia de um paciente, a enfermagem terá uma hora para prepará-lo, e encaminhá-lo ao centro cirúrgico.

A enfermagem não tem autonomia para impedir a internação de pacientes através de leitos administrativos do hospital.

O enfermeiro da unidade deverá sempre ser comunicado pelo médico responsável, quando houver pacientes com suspeita ou com doenças infecciosas, para que proceda de acordo com as rotinas estabelecidas pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)/HC.

Os pacientes ambulatoriais ou externos não serão atendidos nas unidades de internação pela enfermagem para executar quaisquer procedimentos.


Rotinas médicas

Os pedidos de exames laboratoriais de rotina deverão ser solicitados, através dos terminais de computador dos postos de enfermagem, no dia anterior até às 21h00,  sendo que, a coleta desses exames serão realizadas no dia seguinte até 8:30 horas pelos funcionários do laboratório de coleta.

As solicitações de dietas orais e enterais para pacientes internados, serão realizadas diariamente pela manhã até 11h00; para internações posteriores ou alterações de dietas serão feitas quando estas acontecerem. A não atualização das dietas implicará na repetição da dieta anterior ou no jejum, caso este não tenha sido suspenso. A solicitação deverá ser feita via terminal de computador do posto de enfermagem.

A solicitação de nutrição parenteral, deverá ser feita em impresso próprio e encaminhada à farmácia até às 11:00 horas. Para os finais de semanas e feriados o pedido deve ser feito no último dia útil da semana. 

As solicitações para coleta de sangue para reserva cirúrgica e tipagem sangüínea, deverão ser feitas no dia anterior à cirurgia, via computador e encaminhadas ao banco de sangue até às 17:00 horas. Os outros pedidos de hemoderivados deverão ser feitos em impressos próprios, constar na prescrição médica, serem individuais por horário, não devem ser carbonados ou apresentar rasuras. 

Os pacientes convocados para internação, deverão ter seus laudos devidamente preenchidos e deixados no serviço de internação no terceiro andar do HC e a unidade ter a vaga disponível. A enfermeira responsável da unidade deverá ser comunicada. 

As prescrições médicas deverão ser feitas na sala dos médicos e estar prontas até às 8h30, com letra legível em duas vias, sendo obrigatória a segunda via estar etiquetada pelo médico com o nome do paciente, leito, especialidade, enfermaria e data; somente o lado esquerdo da folha deve ser usado, o lado direito será utilizado pela dispensação da farmácia. 

A prescrição será válida por 24 horas. Ítens acrescentados e/ou suspensos deverão ser comunicados à enfermagem e será necessário fazer a segunda via para ser encaminhada à farmácia. Ítens alterados na sua forma de administração, dosagem, diluição, deverão ser prescritos e os anteriores suspensos. As prescrições não deverão conter rasuras. 

A liberação de antibióticos será feita através do médico da CCIH, após avaliação da solicitação feita em impresso próprio. Os medicamentos não padronizados no HC, deverão ser solicitados em impresso próprio e os de manipulação (cremes, pomadas), necessitam do preenchimento da receita branca, além da prescrição médica. 

Os quimioterápicos e o ganciclovir deverão ser prescritos em três vias, conter o formulário do INSS (os quimioterápicos serão preparados na capela de fluxo laminar, localizada na área de QT do terceiro andar). 

Os psicotrópicos e entorpecentes deverão ter receita diária e individual para cada medicamento, estão acondicionados no carro de emergência, que se mantêm lacrados. 

Observações: atualmente na nossa área trabalhamos com o sistema de dose unitária para os medicamentos, o cumprimento das regras estabelecidas é essencial para garantir a assistência aos pacientes sob os nossos cuidados.

Os procedimentos médicos de rotina deverão acontecer segundo os critérios preconizados para cada procedimento (como paramentação e uso de materiais adequados, local, etc), respeitando o horário de passagem de plantão da enfermagem. 

Os materiais utilizados deverão ser encaminhados à área de expurgo da unidade, após o término do procedimento pelo médico que o executou. 

A organização dos prontuários dos pacientes ficarão sob a responsabilidade do residente e/ou interno, que deverão mantê-los em ordem, arquivando os resultados de exames e mantendo atualizadas as evoluções clínicas dos mesmos. Caberá ao oficial de enfermaria arquivar prescrições médicas anteriores, de enfermagem e ficha de controles. 

É terminantemente proibido a saída de prontuários de pacientes da unidade, exceto para centro cirúrgico, exames como ultrassom, tomografia, endoscopia, alta ou óbito. Casos especiais precisam do conhecimento do enfermeiro e oficial de enfermaria, para controle e registro. 

As solicitações de RX de rotina deverão ser preenchidas e encaminhadas até às 11:00 horas, após esse horário o médico deverá ir pessoalmente negociar a sua realização. Para os casos graves no pedido deverá constar que o exame seja feito no leito. Isto deve ser restrito, devido ao risco ocupacional de exposição ao RX. 

Para o uso de materiais consignados será necessário preencher o impresso próprio, constar a indicação, a assinatura do médico e da enfermeira. 

É de responsabilidade médica o repasse de como usar os programas de computador para atender as rotinas das unidades. 



Especificidades do plantão noturno


A jornada de trabalho é 12x60 o que subdivide a equipe noturna em plantão 1, 2, 3 tendo enfermeiros responsáveis em cada noite.

Quando houver algum problema, deve-se identificar em qual plantão ocorreu o fato e qual o enfermeiro responsável para que se possa esclarecer e solucionar as dúvidas, ou se julgar necesário para que se passe o caso para o supervisor tomar as devidas providências.

O plantão noturno tem uma rotina própria, sendo que a maior parte das atividades assistenciais são realizadas até às 24h00. Depois disto, a equipe de enfermagem fica à disposição para atender as solicitações dos pacientes e as intercorrências com os mesmos. São administradas medicações de rotina às 02, 04 e 06 horas. Em torno das 5h00, são realizadas as avaliações e registros dos pacientes para o término do plantão às 7h00.

Não há serviço de apoio disponível, sendo que todos os encaminhamentos são realizados pela equipe de enfermagem da unidade.

Em situações de urgências/emergências o médico plantonista é acionado e aguardado para tomar as condutas médicas necessárias. Enquanto isso a equipe de enfermagem presta assistência básica de urgência, dentro dos limites éticos-legais.

Nos finais de semanas são coletadas amostras de sangue dos pacientes que estiverem hemodinamicamente instáveis, em caráter de urgência.


Observações importantes

Lave as mãos com sabão comum associado ao álcool a 70% antes e após a manipulação do paciente. A clorohexedine deve ser usada quando houver um paciente colonizado/infectado com microrganismos multirresistentes ou para procedimentos invasivos. O uso de luvas não substitui a lavagem de mãos. Utilize as pias dos quartos dos pacientes para a lavagem de mãos, com exceção da enfermaria de MI que tem pias no corredor da unidade.

Utilize as pias dos postos de enfermagem para a lavagem das mãos em procedimentos assépticos.

Solicite as orientações do enfermeiro da unidade sobre as precauções para a transmissão de vias aéreas, de gotículas, de contato e padrão.

No horário de almoço é fundamental a permanência de um médico residente na unidade para atender eventuais necessidades.

Mantenha a ética profissional em qualquer local que esteja.

Devolva as prescrições médicas no mesmo local, após o uso.

A enfermagem não é responsável por qualquer objeto pessoal deixado nas unidades.

É proibido fumar nas dependências internas do HC.

Não é permitido comer dentro dos postos de enfermagem e corredores das enfermarias.

Solicitamos atentar para o uso adequado do vestuário. O hospital não é a sala de aula.

O silêncio contribui com um ambiente mais agradável e adequado para os pacientes e os funcionários.

Não é permitido sentar-se nas camas dos pacientes e nos balcões dos postos de enfermagem.

Use racionalmente os materiais e impressos, peça folhas de rascunho quando precisar. Avalie o que é realmente necessário. Não desperdice.

A ordem do local, reflete o nosso compromisso com o bem estar de todos, portanto colabore.

Para que a assistência de enfermagem seja dinâmica, deve existir uma interação com a equipe multidisciplinar de forma a fazer alterações em suas rotinas quando pertinentes ao serviço. Tais alterações serão comunicadas aos responsáveis pelas disciplinas.