.
topico.gif (908 bytes) voltar


CRIES - CENTRO DE REFERÊNCIA EM IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS

Clique aqui para fazer o download do "Manual dos Centros de Referência de Imunológicos Especiais - 2000"

Histórico


Acompanhando os avanços científicos e tecnológicos que colocam à disposição da população novos imunobiológicos, cada vez mais com indicações específicas e ou para uso em situações especiais, o Ministério da Saúde, juntamente com as Secretarias Estaduais de Saúde, criaram em regiões estratégicas, os CENTROS DE REFERÊNCIA EM IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS (CRIEs). Iniciada a implantação em 1993, hoje contamos com 23 CRIEs no país.

Objetivos


Os CRIEs colocam à disposição dos setores público e privado, imunobiológicos não disponíveis na rede básica, seguindo critérios de indicação do Ministério da Saúde.
Fornecem e aplicam, além de ser referência para discussão, orientação e indicação dos imunobiológicos .
Procedem a avaliação e acompanhamento de prováveis eventos adversos associados às vacinas.
Participam de pesquisas realizadas na área, que contribuem para o conhecimento e ampliação das indicações, de novos esquemas e da otimização do uso dos imunobiológicos.
Dos CRIEs também é função, oferecer aprimoramento e reciclagem de recursos humanos em imunizações.

Indicações


Basicamente, podem ser incluídas nos seguintes grupos:


a) profilaxia pré e pós-exposição a agentes infecciosos, em determinadas situações de risco: por exemplo, vacina contra a varicela em surtos hospitalares de varicela e imunoglobulina humana contra hepatite B após acidentes pérfuro-cortantes em não vacinados;

b) substituição de outros produtos disponíveis normalmente, quando não podem ser utilizados devido a hipersensibilidade ou eventos adversos: por exemplo, vacina DTP acelular, vacina contra a raiva de cultivo celular, imunoglobulinas humanas específicas;

c) imunização de crianças e adultos com imunocomprometimentos: por exemplo, vacina inativada contra a poliomielite.

Segue abaixo a relação de imunobiológicos disponíveis e suas indicações nos CRIEs:

 
IMUNOBIOLÓGICO INDICAÇÃO
Imunoglobulina humana anti-hepatite B - Vítima de abuso sexual
- Acidente Pérfuro Cortante c/ HbsAg+
- Contato sexual de caso agudo de Hepatite B
- RNs de mães HIV+ e c/ HbsAg+
- RNs de mães HbsAg+ c/ peso £ 2000 gr
Imunoglobulina humana anti-rábica - Pessoas c/ teste ao soro anti-rábico positivo - Pessoas c/ reação de hipersensibilidade após qualquer soro heterólogo
Imunoglobulina humana anti-varicela zoster Comunicantes suscetíveis à varicela caso sejam:
- Imunocomprometidos
- Gestantes
- RNs de mães nas quais a varicela surgiu nos últimos 5 dias de gestação ou nos 2 dias pós parto
- RNs prematuros ³ 28 semanas de gestação, cuja mãe não teve varicela
- RNs c/ < de 28 semanas ou <1000gr ao nascimento, independente da história materna
Imunoglobulina humana anti-tetânica - Pessoas c/ teste ao soro anti-tetânico positivo
- Pessoas c/ reação de hipersensibilidade após qualquer soro heterólogo
Vacina contra hepatite B - Contato domiciliar de portadores de HbsAg+ ou doentes c/ hepatite B crônica
- Pacientes c/ risco transfusional mútiplo
- Doadores regulares de sangue
- Pacientes em uso de hemodiálise
- Pessoas HIV+ ou imunocomprometidos
- Transplantados
- RNs de mãe HbsAg+ (1as 12 hs pós parto)
Vacina contra hepatite A - Hepatopatas crônicos suscetíveis à hep. A
- Portadores dos virus das hepatites B e C
Vacina anti-rábica de cultivo celular - Pessoas que apresentem eventos aversos à vacina Fuenzalida-Palácios (FP)
- Pacientes imunocomprometidos c/ acidente de risco p/ raiva
- Profissionais de risco sem título protetor após esquema c/ FP e reforços
DPT acelular - Após alguns eventos adversos grave c/ DPT
- Esquema completo p/ crianças c/ doença neurológica estável
Vacina de virus inativado contra poliomielite Suscetíveis:
- Crianças c/ imunodeficiência congênita ou adquirida
- Criança em contato domiciliar c/ imunodeficientes
- Transplantados de medula óssea
Vacina contra Pneumococo - Adultos e crianças >s de 2 anos c/ doença pulmonar ou cardiovascular crônicas graves, IRC, diabetes melitus insulino-dependentes, cirrose hepática, hemoglobinopatias
- Imunodeficiência congênita ou adquirida
- Fístula liquórica
- Asplênicos
Vacina contra Haemophilus influenzae tipo B - Crianças < 5 anos c/ cardiopatia ou pneumopatia crônicas graves
- Menores de 18 anos asplênicos e hemoglobinopatias
- Menores de 18 anos c/ imunodeficiência congênita ou adquirida
- Transplantados de medula óssea em qualquer idade
Vacina contra influenza - Adultos e crianças c/ doença pulmonar ou cardiovascular crônicas graves, IRC, diabetes melitus insulino-dependente, cirrose hepática, hemoglobinopatias
- Imunodeficiência congênita ou adquirida
- Profissional de saúde ou familiares em contato c/ pacientes citados anteriormente
Vacina contra varicela - Imunocomprometidos nas indicações da literatura inclusive crianças HIV+
- Profissionais de saúde e familiares suscetíveis em contato c/ imunodeficientes
- Pessoas suscetíveis em pré-transplante de orgãos sólidos
- Pessoas suscetíveis imunocompetentes internadas onde haja caso de varicela
- Vacinação antes de quimioterapia, em protocolos de pesquisa


voltar acima