A Central de Material Esterilizado no Departamento de Enfermagem do Hospital Virtual Brasileiro


RESUMO

Hospital Virtual combina uma extensa área de rede de computadores com um banco de dados apresentados em multimídia, isto cria uma ligação “on line” entre a academia e profissionais de saúde da assistência. Na enfermagem tem-se enfatizado muito a necessidade da criação de serviços de educação continuada nas Instituições de Saúde. Entretanto, o acesso a informação não é fácil devido ao alto custo das bibliotecas e cursos de atualização. O Departamento de Enfermagem tem sido desenvolvido pelo Núcleo de Informática Biomédica (NIB) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 

O projeto pode atingir grandes proporções a medida que outros profissionais e associações se integrem a ele. Uma das áreas que vem sendo desenvolvida é a de Central de Material Esterilizado (CME). Certamente, facilitará não somente a divulgação de informações nesta área como também o desenvolvimento da enfermagem enquanto profissão. 

É nosso objetivo criar dentro da rede brasileira um repositório de informações baseado na World Wide Web (WWW) sobre Enfermagem em CME e disponibilizar esse material para a comunidade de usuários da Internet, profissonais de enfermagem e especialistas. São utilizadas ferramentas de navegação pela rede e programação HTML (hyper text markup language) para a confecção das páginas WWW. O material reunido é estruturado em áreas de concentração com subdivisões e interconecções. A CME conta atualmente com:revista, eventos científicos, recursos na Internet, descrição das áreas que compõem uma CME e objetivos da atuação da enfermagem nesta área.

Unitermos: Central de Esterilização, Informática em Enfermagem.




INTRODUÇÃO

A Informática é atualmente um dos principais instrumentos de trabalho nas diversas áreas do conhecimento e atividades. Na Enfermagem, tem aplicações na assistência, administração, ensino e pesquisa(3,5). Contudo, é uma especialidade ainda muito pouco difundida e desenvolvida em nosso meio. 

Somente por volta de 1985 surgiram no Brasil as primeiras publicações sobre informática em enfermagem(5).Embora o interesse seja crescente, poucas escolas de enfermagem ministram de forma regular disciplinas de Informática em Saúde ou possuem um núcleo de informática, como o da Universidade Federal de São Paulo (antiga Escola Paulista de Medicina), fundado em 1990.

Iniciamos o desenvolvimento da área de Informática em Enfermagem junto ao Núcleo de Informática Biomédica (NIB) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) através do oferecimento de disciplinas para os alunos de graduação e desenvolvendo programas e pesquisas na área. Pretendemos agora, dentro de um projeto mais amplo, engajar um maior número de alunos, docentes e enfermeiros assistenciais. Este projeto está sendo desenvolvido via Internet, no Hospital Virtual Brasileiro.

A Internet é um enorme rede mundial de computadores, com um propósito primordial: Conectar pessoas em todo o mundo com informações importantes para a sua vida diária (1).

Pode-se dizer que a Internet teve início em 1969 quando o Governo americano, por motivos de estratégia militar, criou a ARPA-Net(2). Tempos depois, as Universidades e Centros de Pesquisas nos Estados Unidos também começaram a se conectar e utilizar os recursos da rede. Em seguida, empresas comerciais foram aceitas na rede. Várias redes menores foram se conectando formando o que temos hoje. Na verdade a Internet seria uma rede que interliga várias outras redes. Nesta rede a informação é distribuida, recebida, copiada e trocada de várias formas: correio eletrônico (e-mail), listas de e-mail (LISTSERVs), newsgroups, databases, file transfer protocol (FTP), Telnet, Gopher e o World Wide Web (WWW). (1,2 )

Nos Estados Unidos já foi desenvolvido o site da AORN (Association Organization Room Nurses) com mais de duzentas páginas de informações sobre a organização. As pesquisas de enfermagem nas páginas da Internet já possuem links com mais de cinquenta sites de Web(1). 




O QUE É UM HOSPITAL VIRTUAL? 

Na Escola de Medicina da Universidade de Iowa, Galvin, William, Erkonen e D'Alessandro (1995), desenvolveram um conceito chamado Hospital Virtual. Ele combina uma extensa rede de computadores com um banco de dados médicos apresentados em multimídia. Isto cria uma ligação on line entre a academia e médicos da assistência primária. Este sistema pode melhorar a qualidade da assistência prestada e ampliar o papel dos centros educacionais.

Hospital Virtual é, portanto, um banco de dados continuamente atualizado, que contém documentos, imagens e sons (apresentação em multimídia), armazenados em computadores e acessados através de redes de alta velocidade, o que torna a informação disponível 24 horas por dia. Ele poderá ser criado por um Centro Médico e oferecer suporte para a assistência.

Essa proposta representa o futuro dos programas de educação continuada para os profissionais da saúde. A atualização não se restringe aos locais de trabalho, uma vez que é possível o acesso doméstico. Pode-se imaginar o que isso representa em termos de redução dos custos e divulgação rápida e segura de informações. Os cursos, desenvolvidos da forma tradicional, contemplarão, futuramente, apenas as atividades práticas.

Segundo Galvin et al (4), um Hospital Virtual poderá conter:
- livros multimídia
- algoritimos diagnósticos
- coleção on line de materiais de educação continuada conferências, mesas-redonda, palestras e outros
- arquivos para ensino por computador contendo imagens radiológicas, imagens de patologias e sons cardíacos e respiratórios
- vídeos de pacientes reais (cirurgias, endoscopias e outros)
- informação histórica sobre a prática da medicina
- materiais educativos para pacientes

Além dessas informações, poderá conter imagens e vídeos de setores ou atvidades de hospitais reais.

Um hospital virtual pode ser útil não só para os profissionais de saúde, como também aos estudantes de graduação e residentes. A população leiga também pode acessar o Hospital Virtual, obtendo informações úteis para sua saúde.




JUSTIFICATIVAS

A aprendizagem é um processo contínuo e nenhum profissional pode se considerar plenamente capaz de exercer a sua profissão ao concluir um curso universitário.

Na área de enfermagem em Central de Material Esterilizado o acesso às informações para os profissionais é difícil por ser muito especializada, gerando a necessidade da criação de um Banco de Dados on line a fim de promover a atualização, facilitando o treinamento adequado do pessoal de enfermagem, facilitando a troca de informações e, com isso, melhorando a qualidade dos serviços prestados, que são imprescindíveis para a assistência através do processo de esterilização que envolve lavagem, acondicionamento, esterilização e distribuição do material.

A qualidade da esterilização depende do monitoramento dos processos e equipamentos, o que requer conhecimento técnico e científico atualizado.

A falta de bibliotecas e o alto custo dos cursos de atualização podem ser fatores limitantes para aqueles que vivem longe de grandes centros. Assim, justifica-se a busca de modelos de educação a distância.

O Hospital Virtual é uma proposta factível e relativamente barata, tornando acessível a informação não apenas aos profissionais como a população em geral. O Hospital Virtual Brasileiro é o terceiro do mundo, seguindo-se ao de Iowa e o de Singapura, e foi o primeiro a ser criado na América Latina.

Futuramente, modelos semelhantes representarão um importante instrumento para a divulgação de protocolos de atenção a saúde nos programas nacionais. 

O desenvolvimento da Especialidade de Central de Material Esterilizado (CME) dentro do Departamento de Enfermagem Virtual é um projeto que pode atingir grandes proporções a medida que outros profissionais e associações se integrem a ele. Certamente, facilitará não somente a divulgação de informações na área de enfermagem em CME, como também o desenvolvimento da enfermagem enquanto profissão. 




OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL
Desenvolver dentro da rede brasileira um repositório de informações baseado na World Wide Web (WWW), sobre Enfermagem em Central de Material Esterilizado e disponibilizar esse material para a comunidade de usuários da Internet e profissionais de enfermagem.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- tornar acessíveis informações sobre a especialidade de CME com indicações a respeito de dados   disponíveis na Internet mundial;
- divulgar métodos de trabalho através de imagens (fotos e filmes), artigos científicos e textos contendo descrição da planta física, fluxo dos materiais e outros;
- divulgar novos métodos de esterilização e controle do processo;
- facilitar a criação de fóruns eletrônicos de discussão;
- esclarecer dúvidas através de um site de perguntas e respostas
- desenvolver edições eletrônicas de números já publicados da revista da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Centro Cirúrgico (SOBECC);




MATERIAIS E MÉTODOS

Com o objetivo de ampliar a equipe de trabalho e divulgar o projeto, são promovidas reuniões científicas semanais cuja população-alvo são as (os) enfermeiras (os) especialistas de diferentes instituições. A divulgação se faz também junto às associações e nos eventos de enfermagem.

Inicialmente, a equipe de trabalho fez cursos de capacitação para o uso de ferramentas de navegação pela rede e programação HTML (hyper text markup language) para a confecção das páginas WWW.

A estrutura da Central de Material Esterilizado do Departamento de Enfermagem no Hospital Virtual será desenvolvida de acordo com o Anexo 1 . 

Recursos Materiais 

A UNICAMP conta com uma estrutura adequada para o desenvolvimento do projeto em questão. A UNINET (rede acadêmica da UNICAMP) é um dos pontos de presença da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), com grande capacidade de tráfego de informação eletrônica, com capacidade de transmissão de dados de dois megabits por segundo no backbone nacional.

A Universidade possui um Centro de Computação (CCUEC) (2)., com terminais onde pode ser desenvolvido o trabalho e o NIB, responsável pelo projeto do Hospital Virtual Brasileiro, que orienta, treina e capacita os profissionais na área de saúde.

É possível também trabalhar fora da Universidade através de acesso discado às máquinas do CCUEC.

Os cursos básicos de programação HTML e sobre Internet são oferecidos pelo NIB. Contudo, para que se complete a capacitação do grupo de trabalho, há necessidade da participação em cursos avançados, oferecidos pelo Centro de Computação da UNICAMP ou por escolas de informática, cujo conteúdo poderá ser replicado entre os integrantes da equipe. No Anexo 2 estão descritas algumas terminologias mais utilizadas na Internet.


Recursos Humanos

Está sendo formada a equipe de trabalho que, além da atual coodenadora que é Enfermeira Supervisora Técnica da Central de Material do Hospital das Clinicas da UNICAMP, deverá contar com contratação de serviços de informática e tradução para a língua inglesa . Para o desenvolvimento desse projeto esperamos ter o apoio financeiro de empresas de iniciativa privada que tenham interesse na área e de órgãos de fomento à pesquisa.
- grupo está sob orientação da coordenadora do projeto do Departamento de Enfermagem do Hospital Virtual Brasileiro, que é pesquisadora associada do NIB e Professora Assistente Doutora do Departamento de Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da UNICAMP.




RESULTADOS

Já está desenvolvido no site da CME as seguintes páginas de Web:

- Home page da Coordenadora de Enfermagem da Sub-especialidade em Central de Material Esterilizado;

- Objetivos da Enfermagem em Central de Material Esterilizado;

- Áreas: 
Expurgo da CME do HC/Unicamp;
Preparo de Materiais;
Sala de Esterilização;
Montagem de Instrumental Cirúrgico;
Sala de Esterilização;
Montagem de Carros Cirúrgicos;
Distribuição de materias estéreis;
Primeira edição da Revista SOBECC com o resumo de alguns trabalhos.




CONSIDERAÇÕES FINAIS


A Internet nos trouxe um grande avanço no sentido de trocarmos informações, de uma forma mais rápida, mais barata e mais interessante que os métodos tradicionais de comunicação. Podemos evoluir a medida que outros centros e especialistas comecem a se agregar ao nosso projeto, formando-se novas redes e aumentando a troca de informações e o desenvolvimento da especialidade.

A CME é uma área com grande carência de informações e este projeto poderá ajudar no sentido de prover os profissionais com dados seguros para facilitar o trabalho diário e a pesquisa.

Maiores informações podem ser obtidas através do e-mail: mquelhas@nib.unicamp.br  ou no endereço eletrônico do hospital virtual: http://www.hospvirt.org.br




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. PRACTICAL INNOVATIONS .AORN Journal., v. 64, n 2, pg.286-289. Aug. 1996.

2. CENTRO DE COMPUTAÇÃO DA UNICAMP (CCUEC). Endereço eletrônico:http//www.unicamp.br/ccuec/gacli/cursos/c03. 

3. EVORA, Y. D.M. Processo de informatização em enfermagem: orientações básicas. São Paulo: EPU, 122 p. 1995

4. GALVIN, J. R.; ERKONEN, W. E.; D'ALESSANDRO, M. Electric differential bibliography - The Virtual Hospital: a new link between academia and the practicing physician. (publicação eletrônica: http://vh.radiology.uiowa.edu)

5. MARIN, F. H. Informática em enfermagem. São Paulo: EPU, 112 p, 1995.

 

 

 

 

 

 

VOLTAR