Ambulatório de Oncologia recebe oficina de maquiagem

(23/03/2015) Mulheres em tratamento oncológico no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, participaram na última sexta-feira (20) de uma oficina de maquiagem no Ambulatório de Oncologia Clínica. Com o objetivo de oferecer um atendimento humanizado às pacientes, o curso acaba de chegar ao hospital através de parceria entre o serviço social do ambulatório, a Superintendência, Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), NUVOHC e a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC).

Parte do Projeto "De Bem com Você - A beleza contra o Câncer", a ação consiste na realização de oficinas de automaquiagem, nas quais profissionais voluntários da área de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, ensinam técnicas que ajudam a suavizar os efeitos relacionados ao tratamento do câncer, com aumento da autoestima e da qualidade de vida. Quatro profissionais, incluindo um maquiador, ministraram o curso.

“O tratamento oncológico pode repercutir na pele, deixando ela mais seca, com manchas e até levar à reações alérgicas. Então a paciente às vezes perde a própria percepção como mulher, por isso é importante fazer esse resgate”, explica a coordenadora do ambulatório de oncologia do HC, Nadia Sclearuc Siqueira.

No dia, 12 mulheres tiveram a oportunidade de assistir a oficina, cuja expectativa é que se repita uma vez por mês no hospital. “Percebemos uma transformação nas mulheres, entre o começo e o fim da oficina”, afirma a gestora do projeto da ABIHPEC, Impéria Calazans. Ela reforça a importância de que as pacientes se descubram como pessoas ativas, mesmo com o tratamento e tudo o que ele interfere. 

A oncologista Nadia Sclearuc ressalta também, que campanhas de resgate da feminilidade de mulheres, vítimas do câncer de mama, são frequentes e importantes, mas lembra que outros tipos de câncer também afetam as mesmas, por isso a importância de um momento como este.

“Quando o tratamento é intenso, ele pode provocar efeitos colaterais indesejados e afetar o aspecto corporal. Muitos pacientes acabam abandonando questões de cuidados pessoais como beleza, higiene e sexualidade”, completa Nadia.

Como continuação do projeto de humanização do ambulatório de oncologia, há planos de estender oficinas parecidas e específicas para cuidadores, acompanhantes e também pacientes oncológicos do sexo masculino.

“Entendemos a importância de atividades dessa natureza como forma de resgatar a dignidade, a autoestima das pacientes na busca sistemática da assistência humanizada e da integralidade do cuidado”, conclui a coordenadora do GTH, Maria Rita Fraga.

O projeto da ABIHPEC acontece em outros hospitais como Hospital Pérola Byington, Irmandade Santa Casa de São Paulo, Instituto Brasileiro de Controle do Câncer, Instituto Paulista de Cancerologia,Hospital A.C. Camargo, Hospital das Clinicas de São Paulo, Hospital Sírio Libanês etc. Em Campinas, é realizado no Hospital Municipal Dr.Mário Gatti. 

Caius Lucilius com Caroline Roque
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

Share/Save