2ª Jornada de Segurança do Paciente da RMC dias 22 e 23/11

(21/11/2016) Cerca de 500 pessoas estão inscritas para a 2ª Jornada de Segurança do Paciente da Região Metropolitana de Campinas, que acontece nesta terça e quarta-feira (22 e 23-11), no auditório da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. Com o tema "Segurança do paciente: da teoria à prática", a edição deste ano dobrou o número de inscrições - gratuitas - demonstrando a importância que o tema vem ganhando nos últimos anos entre gestores, médicos, enfermeiros e outros profissionais da área da saúde.
 
Presidido pelo coordenador de assistência do HC da Unicamp, professor Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, e com a coordenação do HC da Unicamp, a jornada reúne hospitais de Campinas e região para discutir o assunto, entre eles o Hospital Madre Theodora, o Hospital Vera Cruz, a Santa Casa de Vinhedo, o Hospital Mário Gatti, Hospital e Maternidade Celso Pierro, o Hospital da Mulher “Prof. Dr. José A. Pinotti” - Caism e o Hemocentro da Unicamp.
 
Entre os palestrantes convidados desse ano estão o médico José Branco, diretor do Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente (IBSP), a médica Helidéa de Oliveira Lima, diretora de Qualidade Assistencial da Rede D'Or São Luiz e o médico Antônio Capone Neto Gerente Médico da Qualidade e Segurança do Paciente do Hospital Israelita Albert Einstein. Nesta edição também existe a sugestão de doação de um pacote de fraldas geriátricas.
 
“O assunto envolve muitas variáveis, mas, com empenho dos profissionais da área, é possível caminhar para políticas públicas com vistas ao paciente”, salientou o médico Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, presidente do evento e coordenador de assistência do HC da Unicamp. Para ele as ações de segurança do paciente visam mitigar possíveis erros e condutas. "A idéia é maior: atuar até antes que eles ocorram. Isso pode ser conseguido com uma estratégia mais sistematizada seguindo os protocolos do Programa Nacional de Segurança do Paciente".
 
O Brasil faz parte da Aliança Mundial para a Segurança do Paciente, criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2004. O objetivo da aliança é adotar medidas de melhoria no atendimento ao paciente e aumentar a qualidade dos serviços de saúde. Ao lado dos outros países que aderiram à aliança, o Brasil está politicamente comprometido com esses propósitos da OMS.  Para isso, o Ministério da Saúde instituiu em 1º de abril de 2013, por meio da Portaria nº 529, de 01/04/2013, o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP).

Entre os protocolos determinados pelo PNSP estão Política de Identificação Segura; Protocolos de Sepse Adulto, Pediátrico e Neonatal; Protocolo de Pneumonia Comunitária Adulto e Pediátrico; Protocolo de Dor Torácica seguido de IAM com supra e sem supra; Protocolos de Prevenção de Infecção; Protocolos de Prevenção e Tratamento de Flebite, Queda, Úlcera, Lesão de pele e Broncoaspiração; Protocolos de Cirurgia Segura; protocolos de Prática de Higiene das mãos; Sistema de Notificações de Eventos Sentinela, Adversos, Quase erro e Não conformidades entre outros.

Veja a programação

Caius Lucilius
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp 

Share/Save